25 de ago de 2009

"Era um garoto que como eu..." - 25 de Agosto - Dia do Soldado

Aos amigos mutantes peço licença para expressar mais um dos meus sentimentos e cada um que aqui vem sabe que sou assim mesmo; transparente mesmo por traz de um avatar, mas o avatar de lobo não foi por acaso e qqr dia explico.

Hoje quero prestar uma homenagem "ao soldado"; garoto que como eu aos 18 anos foi obrigado a se incorporar as forças armadas, numa época turbulenta do país e que até hoje deixa sequelas.
Não estou aqui pra defender nem atacar, mas vivi um momento como jovem muito difícil em que sair fardado à rua era correr risco de ser espancado e morto; andávamos em grupos prq éramos orientados que estávamos na mira de uma gente raivosa e sem escrúpulos que dizia lutar pela liberdade mas tirava a dos outros que não fossem como eles.

Que culpa tinha um jovem de 18 anos se a dita estava lá no poder e a revolução era contrária?



Porque deveríamos pagar por sermos obrigados a servir a pátria com a vida?

Mas lá dentro dos muros da famosa e temida Policia do Exército, aprendi a conhecer a amizade, a lealdade, o respeito pelo País de verdade e não pelo que um lutava e outro defendia.
O Brasil não tem culpa por seu povo, uma nação é o que seu povo faz e que pena, olha no que nos tornamos.
Sim, existiam radicais de ambos os lados, mas olhe a sua volta e verá que todos que àquela época lutavam pela liberdade hoje se locupletam do País, nos tirando o direito à educação de qualidade, à saúde, à dignidade.
Sim são os mesmos que amedrontavam jovens soldados ou até matavam em nome da tal "democracia"; bom uma palavra que começa com "demo".... não sei tenho dúvidas.

Olhe a sua volta e veja, eu estive lá e só conheci pessoas como eu que queriam um futuro melhor e quando saíamos em rondas noturnas evitávamos a mando dos que comandavam a patrulha locais de aglomeração prq muitos achavam triste levar detidos jovens que só queriam se divertir e descumpriam as leis militares.
Estas pessoas se tornaram jornalistas, músicos, médicos, dentistas, garis, pedreiros, e ajudam ainda a construir esta nação.

Não, os milícos não são e nunca foram santos, mas também do lado dos revolucionários haviam em grande quantidade bandidos e marginais travestidos de democratas.
Que país é esse? Que país é esse..............!!!!!!



Letra: Ten Cel Alberto Augusto Martins
Música: T. de Magalhães


Nós somos da Pátria a guarda,
Fiéis soldados,
Por ela amados.
Nas cores de nossa farda
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Em nosso valor se encerra
Toda a esperança
Que um povo alcança.
Quando altiva for a Terra
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

Como é sublime
Saber amar,
Com a alma adorar
A terra onde se nasce!
Amor febril
Pelo Brasil
No coração
Nosso que passe.

E quando a nação querida,
Frente ao inimigo,
Correr perigo,
Se dermos por ela a vida
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Assim ao Brasil faremos
Oferta igual
De amor filial.
E a ti, Pátria, salvaremos!
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor

No que nos tornamos? Em quem devemos confiar? Só sei de uma coisa, fiz muitos amigos no meu tempo de serviço militar e os admiro prq como eu, sabiam a diferença entre o certo e errado com apenas 18 anos enquanto nossos líderes e os guerreiros pela paz só conheciam a dor, o ódio e a morte.
Sei que muitos não irão concordar e isso acho ótimo, mas nunca iria querer de volta a "dita" mas gostaria muito que todos que morreram pela liberdade estivessem em paz ao invés de ver que vivemos cercados de "mensalão", "cuecas", "dedo cortado pra ganhar aposentadoria" e "falsa democracia"; só morreram pessoas de um lado?
Haviam sim os porões e as torturas, mas só de um lado?
Do outro só "vestais"?

Olavo Bilac escreveu esse poema, que se chama Pátria. Sua versão completa esta transcrita abaixo:

"Ama, com fé e orgulho a terra em que nasceste! / Criança! Não verás nenhum país como este! / Olha que céu! Que mar! Que rios! Que floresta! / A natureza, aqui, perpétuamente em festa. / É um seio de mãe a transbordar carinhos (..) / Criança! não verás país nenhum como este: / Imita na grandeza a terra em que nasceste!"

21 de ago de 2009

A Piedi Nudi - Eclissi - 1997

Não consegui ficar quieto de jeito nenhum e havia prometido que faria uma pequena pausa, afinal até nós lobos temos contratempos e recobrar as forças é necessário para a sobrevivência.
Mas como ficar indiferente qdo ao colocar um som pra ouvir e relaxar, me aparece isso pela frente?

Que absurdo, que sonoridade, que força ou punch que possue esse grupo que circula sim pelos blogs do mundo todo; mas não na intensidade merecida e aí é que arrumo desafetos e lá vou eu de novo; prq os sábios de plantão não aceitam que mesmo eu tendo coleções variadas de Premiata, Le Orme e outros, chame a atenção que não existe só estes e "A Piedi Nudi" é a prova de que música de qualidade não circula nas rodas dos revolucionários de butique que só conhecem aquele circuitozinho e não admitem que se saia desse circuito.

Conheci e cresci com músicos de várias vertentes e amigos tb de outras áreas que mais velhos me apresentaram um mundo diferente de Pasquim, Mack e USP, um mundo além do muro de Berlim e tb da extinta CCCP e que se comprova hj estarem certos; prq o que somos roubados por essa esquerda festiva que envelheceu e se encastelou no poder é brincadeira.
Acho que nem no tempo da dita dura se roubou tanto como hoje e o pior que são aqueles que diziam lutar pela liberdade do povo e o direito de ser diferente que nos surrupiam o futuro e o direito a sonhar; são aqueles que foram sim presos por lutar contra aquele regime mas que parece terem esquecido rapidinho o que ficou pra tráz e seus ideais, porque nunca se viu tanta fome, tanta doença e tanta rapinagem juntas em cabeças tão liberais.

Estes são aqueles que criticam o que é diferente da visão deles e não admitem o "belo" visto por outros olhos ou ouvido por outros ouvidos como no caso em questão.
Este sim é o chamado patrulhamento ideológico e como aqui nessa caverna posso uivar a vontade, ouça quem quiser e aceite quem entender.
Ah! prometo que não mais darei espaço pra este assunto aqui e dei por encerrada minhas críticas aos que tb são diferentes de mim, pois se quero liberdade tenho de defender o direito de tê-la tb quem quer que seja não?

Pra me ajudar recorro mais uma vez "a mi amicci Alberto Nucci" que entende bem mais que eu e muitos que opinam sobre musica e ainda mais a italiana.


"Non so se i ragazzi degli A Piedi Nudi siano mai stati a Damasco, ma la loro storia musicale assomiglia a quella religiosa di S. Paolo, con una conversione improvvisa avvenuta all'ascolto del disco del Balletto di Bronzo. Da allora hanno iniziato una rincorsa musicale verso i loro nuovi idoli che, paradossalmente, sembra trovare la sua meta proprio con l'album che forse sembra allontanarli di più. "Eclissi", terzo album degli APN, inizia e si sviluppa su stilemi piuttosto heavy. Non che i lavori precedenti fossero soft, ma la chitarra di Nicola Gardinale si fa adesso piuttosto aggressiva e le ritmiche incedono sovente con passo pesante e poderoso. Eppure il gruppo non rinnega quanto ha fatto finora, anzi... esso trova la sua sublimazione, come dicevo all'inizio, con questo album, dato che i 9 brani del cd non sono certo composti da rullate e ruggiti heavy punto e stop. Non tema chi apprezzava il lato Progressive di questo gruppo che esso costituisce ancora la caratteristica predominante di ogni brano. La somiglianza col Balletto, dicevo all'inizio... beh... ditemi se, ascoltando "Eclissi" da cima a fondo, non vi vengono alla mente vari stacchi e pezzetti musicali di "YS"... poi vi scuotete... e realizzate che non è il Balletto, ma gli A Piedi Nudi..."

Alberto Nucci

Banda:

Carlo Bighetti- drums, flute
Mirko Andreasi- vocals
Nicola Gardinale- guitar
Cristian Chinaglia- keyboards
Simone Bighetti- bass
Enrico Barchetta- French horn

Musicas:
1. Esodo — 5:28
2. L'Inganno — 4:56
3. Le amanti — 6:30
4. Senza ritorno — 4:24
5. Reverendo — 7:41
6. Temporale — 5:51
7. L'infedele — 6:40
8. Amici d'infanzia — 6:38
9. Eclissi — 8:24

total time 56:32

Obs: Me corrigindo ainda em tempo, esta obra prima da música italiana me foi apresentada pelo maninho Dexx e eu não fui justo ao postar, não comentando tal fato; mas o velho lobo iria fazer ao final.
Enquanto há vida a esperança é vencedora Dexx!!!!

Gustare!!!!!!!!!!!!!!!!

18 de ago de 2009

Meu amigo, meu compadre , meu irmão......


Obs: Assistam prq está sendo deletado em todos os lugares, prq agora existem os donos da obra dele sabe?
Ah Raul se vc estivesse aqui diria o que disso tudo?



Depois que morrem todos viram santos e perfeitos, mas não me lembro de ninguém ao lado do Raul qdo tava esmolando uma bebida numa avenida de um bairro de SP e os "malacos", "cafetões","bandidos" e a corja da noite junto com as prostitutas o expulsavam aos chutes e gargalhadas; até aparecer um rapaz sem juízo de tudo, que ao ver a cena partiu pra cima daqueles covardes e os colocou em seus devidos lugares, no lixo e carregou o "maluco Beleza" até em casa onde sua empregada o recolhia tb e o levava pra um banho, remédios e esperar acordar pra medicar.
Não, não havia ninguém desses que hj se dizem fãs, levantam bandeiras, ganham as suas custas e roubam o que ele mais prezava que era sua obra, mas assim é a vida não?
Minha satisfação é ver uma amiga como a Lucy fazer uma montagem com a chamada música "perdida" e que intitularam "Gospel do Raul" e rolou na plim plim com astros e estrelas, que dúvido chegariam perto dele sujo, doente e fedendo, mas hj riem por se acharem os tais.

Minhas homenagens ao Marcelo Nova, este sim, um ser humano de verdade, um amigo do Raul de verdade, um homem de verdade que pegou o Raul da sarjeta e o levou de volta ao palco que era seu lugar, aos estúdios pra gravar e proporcionou um final de vida digno ao "cara".
Meus agradecimentos sinceros a Lucy porque ela como alguns poucos sabem da admiração que tenho pelo ser humano Raul que poucos conheceram, mas hj brigam por sua herança, só que nenhum deles estava lá nessa época que relatei, a não ser sua empregada, um jovem sem juízo, e na sequência Marcelo Nova.


Enjoy Raul, enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Sweet Home Chicago - Muddy Waters and the Rolling Stones (Full Version)

Juro que tinha me preparado pra não escrever absolutamente nada sobre este post, afinal ele se auto explica e ponto.
Mas como não sou de só postar e adoro fuçar (além de ganhar presentes,rs) fui descobrir que este disco é um dos discos mais retirados, deletados e delatados que se tem noção, prq não existe um ranking entre nós "foras da lei" pra saber quais são os top 100, top 10 ou sei lá o quê e entre nós tb não existe uma parceria e um relacionamento fraterno; prq qdo um é deletado os afins se mudam pra outro lugar através do google e os amigos pouco podem tb fazer e por isso, resolvi só colocar isto a respeito deste post.
O disco é meu e veio em "full version" mesmo, não me perguntem sobre faixas e tal, é um arquivo e pronto, mas garanto que poucos ô tem e pra quem entende tem diferenças sim dos outros colocados nas prateleiras e pra quem só gosta dos caras é um puta som!!!!
Aqui uma reverência ao Sr Muddy Waters por proporcionar aos Stones a graça de sua cia..... rs, eles são bons sim, mas sabem que devem e à quem e por isso o disco tentou sair com o nome deles na frente em várias reedições, mas nesta versão na capa original vc nota quem vem a frente e eles sabiam respeitar quem era quem.
Um de meus devaneios tolos qdo à luz da lua, é de um dia encontrar com esses caras e dizer pessoalmente: Vc animou minha vida, trouxe luz pra minha alma, e me fez um ser humano melhor, muito obrigado!!!!!!!!!
Segue baixo um release de um amigo e vou colocar tb seu desabafo na sequência ok?


"When Muddy Waters took the stage at the Checkerboard Lounge in Chicago on November 22, 1981 to play a session with members of the Rolling Stones and fellow bluesmen Buddy Guy, Junior Wells and Lefty Dizz, no one expected it to become one of his last live concert appearances. Mick Jagger, Keith Richards, Ron Wood and "fifth Stone" Ian Stewart, staying in Chicago for three concerts on November 23, 24, and 25, were excited to meet their long-time idol, perhaps the greatest bluesman ever and, of course, one of the major influences which led to the formation of the Rolling Stones back in 1962. They even took their band name from one of Waters' songs, "Rolling Stone." The meeting took place in an atmosphere of great anticipation, friendship and respect. Hear Jagger, during "Hoochie Coochie Man," sing the line "...I was born with good luck" and Waters' humorous response to superstar Mick: "...I see that!" ...irresistable! "Time waits for no one" sang the Rolling Stones, whome he had given a part of his unforgettable way of playing the blues. Further proof may be given by three Rolling Stones bonus tracks included in this collection: "I Want to Be Loved" (unreleased studio outtake, IBC Studios, London, March 11, 1963), "I Can't Be Satisfied" (BBC Radio performance on "Top Gear", July 23, 1964) and "I Just Wanna Make Love to You" (live recording, Madrid/Spain, June 17, 1990). We would like to dedicate this record to Muddy "Mississippi" Waters. It was one of his last but definitely not least appearances on stage."

Notice: The digital gestapo have threatened me with their riding crops, so this stuff is going away for now. I can't imagine that Mick and Keith are all that concerned about losing money because a bootleg is being made freely available (and I'm sure that Muddy Waters doesn't give a damn), so it's probably another symptom of too damned many lawyers wasting time and money when they could be better and more appropriately employed cleaning toilets. It shouldn't be too hard to find elsewhere these days. Perhaps I'll bring it back if and when BushCo is removed and the fascistas are in recession.

Side 1

1. Sweet Little Angel
2. Flip, Flop and Fly
3. Introduction
4. Down the Road I Go
5. Country Boy
6. I'm a King Bee
7. Someday Baby
8. County Jail

Side 2

1. Baby Please Don't Go
2. Hoochie Coochie Man
3. Long Distance Call
4. Mannish Boy
5. Champagne and Reefer
6. Next Time You See Me
7. Talking About My Woman
8. I Want to Be Loved
9. I Can't Be Satisfied
10. I Just Want to Make Love to You

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

16 de ago de 2009

Prêmio "Master Blog"- Dedicado aos meus amigos!!!

Acabei de receber o Prêmio MasterBlog, passado a mim pela minha amiga Milu do blog "Cultura Livre na Web"; o qual continuo chamando de "Blog da Milu".

A Milu é um caso a parte e pra que não fiquem sem entender eu explico (ré,ré,ré, vc achou que iria perder esta oportunidade de falar né?): No mundo virtual nos relacionamos com várias, inúmeras pessoas e sempre repito, pra Bem ou pra mal, faz parte da experiência humana apesar do meio digital.

Mas algumas pessoas acabam se tornando muito mais do que simples cias de hs perdidas e se tornam parte de seu mundo e como a própria Milu diz, ela é "Habitante de um planetinha muito especial: nele,só há lugar para a paz, o amor e as coisas boas da vida. E muita música! Meu planetinha é sonoro, com sotaque russo, um tanto místico e formado por prateleiras cheias de livros."

Esta é a Milu que nunca perde uma oportunidade em dividir sua felicidade com outros e um desses outros acabou sendo o "Blue Wolf" ou "Lobo Véio"que vos fala , e dela só recebo, elogios que agradeço, carinhos que não mereço(mas aceito todos,rs) e essa gentileza em citar este "bloquinho" nas suas indicações e confesso, que devido ao número de blogs que conheço e respeito eu não sei escolher apenas 05, ou 10, ou 20 sei lá; são amigos e amigas que fiz nesta jornada de baixo da "lua cheia" e não me perdoaria deixando alguém de fora.

Nas outras vezes fiquei quietinho e pareceu que fingi não ver, mas era esse meu dilema, prq todos dessa lista de amigos ao lado só estão aqui por que gosto deles e não costumo chamar qqr um de amigo e muito menos de querido ou querida; então em virtude disso eu peço desculpas aos idealizadores deste e do "Dardos" e tb do "Lemniscata", os quais tb fui agraciado prq seria impossível escolher alguém entre os que amo e ainda existem outros que ainda não atualizei minha lista.

As regras do prêmio seguem abaixo:

O recebimento do selo inclui as seguintes regras (para quem quiser incluí-lo em sua página virtual):
1. Postar o selo.
2. Colocar no seu post o nome do blog que te indicou ao prêmio.
3. Escrever uma mensagem de agradecimento ao blogueiro que te indicou.
4. Abaixo do selo descrever 5 características suas.
5. Indicar o prêmio a 5 ou mais blogs para receber o selo.


As características que me mantém aqui na alcatéia faça chuva ou sol, lua cheia ou não são:
01) Amar a música
02) Compartilhar o Amor
03) Receber Amor
04) A música me Amar
05) Amar e ser amado

Indico à aqueles que sabem o qto os respeito e os admiro, à aqueles que recebem meus emails de críticas ou palpites; à aqueles que posto comentários em seus blogs, à aqueles que me respeitam e me fazem dia a dia um ser humano melhor; à aqueles que amo e se tem uma coisa que não tenho receio é de expor emoções ou sensações, acho que as pessoas deveriam sim expor o que gostam ou não e se gosto, gosto, se não não gosto e pronto.

Valeu Milu!!!!!

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

14 de ago de 2009

Rock Fly - "Programação Especial"



Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Morre Les Paul, pioneiro da guitarra elétrica e da gravação multicanal

Lenda da guitarra tinha 94 anos.Paul morreu devido a complicações de uma pneumonia.
Les Paul, o guitarrista e inventor que mudou a história da música com a guitarra elétrica e a gravação multicanais e chegou a ter alguns hits nas paradas (muitos ao lado da esposa Mary Ford), morreu nesta quarta-feira (12). Ele tinha 94 anos.

Lester William Polsfuss, nome completo do aclamado músico e inventor nascido em Waukesha, no norte dos Estados Unidos, em 1915, morreu em um hospital da cidade de White Plains, no estado americano de Nova York, após "complicações de uma grave pneumonia", informou a Gibson Guitars em um comunicado de imprensa.Ele estava acompanhado da família e de amigos.
"Ele vinha recebendo o melhor tratamento disponível durante sua última batalha, quando mostrou força, tenacidade e coragem incríveis", acrescenta a nota sobre a morte do artista, que, ao longo de sua vida, sobreviveu a um grave acidente de trânsito e a uma delicada cirurgia no coração.

Ele havia sido hospitalizado em fevereiro de 2006, quando descobriu que ganharia dois Grammys por um disco que havia lançado depois de seu aniversário de 90 anos, “Les Paul & friends: American made, World played”.

“Eu me sinto como um prédio condenado com uma bandeira novinha em folha instalada em cima”, brincou na época.

Como inventor, Paul ajudou a no nascimento do rock ‘n’ roll ao criar a primeira guitarra elétrica de corpo sólido, e também foi responsável por uma das invenções mais revolucionárias nos métodos de gravação: o gravador multicanal.
Com ele, os músicos puderam gravar instrumentos diferentes na mesma música, até mesmo cantando em harmonia consigo mesmos – além de poderem mexer no equilíbrio entre as faixas dos canais para finalizar suas gravações.

"O mundo perdeu hoje um ser humano excepcional e verdadeiramente inovador. Ninguém no mundo conseguiu igualar suas técnicas", disse no comunicado o executivo-chefe da Gibson, Henry Juszkiewicz.

Com Ford, sua esposa entre 1949 e 1962, ele conseguiu 36 discos de ouro e 11 hits no primeiro lugar das paradas, incluindo “Vaya con Dios”, “How high the moon”, “Nola” e “Lover”. Muitas das músicas da dupla usavam técnicas de gravação que Paul, o inventor, ajudou a desenvolver.

Durante seu aniversário de 72 anos, Les Paul autografa o peito do guitarrista Jimmy Page, do Led Zeppelin. (Foto: AP)“Eu podia pegar Mary e fazer ela ter três, seis, nove, 12, quantas vozes quisesse”, já explicou Paul. “Ter a dinâmica, ter a possibilidade de se expressar para além dos limites de um instrumento não amplificado, era incrível. Hoje ninguém pensaria em cantar uma música em um palco sem um microfone e um sistema de som”.

'The Log'

Músico e criador desde a infância, ele experimentou com a amplificação de guitarras por anos antes de chegar ao que chamou em 1941 de “The log” (“A tora”), uma placa de madeira com cordas de vilão de aço.

“Eu fui até uma casa noturna e a toquei. É claro que todo mundo me chamou de doido”. Mais tarde ele colocou asas de madeira no corpo do instrumento para dar a impressão do formato de um violão mais tradicional.

"Queria demonstrar que conseguir uma tampa sólida, sem vibrações, era o caminho a seguir", explicou à época o próprio artista sobre a criação da "The Log", precursora da sua invenção mais venerada, instrumento com o qual conseguiu "amplificar a pureza das cordas sem a interferência da ressonância da madeira no som".

Desde 1952

Em 1952 a Gibson Guitar começou a produção da guitarra Les Paul. Pete Townsend do The Who, o virtuoso jazzista Al DiMoela e Jimmy Page do Led Zeppelin estão entre os que escolherem a Gibson Les Paul como sua guitarra preferida.

Ao longo dos anos a série Les Paul se tornou uma das guitarras mais usadas na indústria musical. Em 2005, a casa de leilões Christie’s vendeu uma Gibson Les Paul de 1955 por US$ 45.600 (mais de R$ 85 mil).

Matéria e fotos retirados do "G1"

13 de ago de 2009

"Super Rock Summit - Cozy Powell Forever Tour Live In Tokyo"

Sabe aqueles dias da vida de um ser humano que o melhor era pular pro próximo?
ré,ré,ré....o Lobo hj tá virado do avesso e por vários motivos e cada um deles todos nós humanos ou não passamos, passaremos , passarão (ih, querendo fazer poema vai dar caca!!)
Mas enfim, "c'est la vie"!!!!

Faz tempo que aprendi a gostar de vários tipos de instrumentos musicais e dos mais variados locais, mas nunca aprendi tocar nenhum direito (e nem com a esquerda......ai que infame!) e vivendo e aprendendo notei que gostava e ainda gosto de ver o talento nos outros e me admiro como eles conseguem fazer tudo aquilo numa guitarra, num violão, num baixo, num teclado ou como no caso aqui numa bateria.

Pelo amor de Deus, como estes caras tocaram em suas vidas e pode até ser de estilos diferentes ao que vc está acostumado, mas como eles eram fantásticos.
Onde quero chegar?
Já cheguei!!!!
Já a algum tempo acompanhei a carreira de Cozy Powell e suas inúmeras incursões em bandas variadas e só se ouve falar bem do cara e ainda mais de seu talento incomparável.
Ok!
Mas aqui está um som que é muito difícil vc achar referências coerentes e datas que batam e aí como sou um puta dum chato não desisti enquanto não encontrei o nome verdadeiro do álbum, a capa, os integrantes e o motivo de tal reunião.
O Loudness era ou voltará a ser uma banda de rock oriental mas em alguns momentos até infantil em sua levada mas em outros eles tinham algo de monstruoso em seus acordes e em suas levadas e ao vivo ainda é que eles mostravam sua verdadeira essência.

Eles tem "N" fãs-clube, e inúmeras páginas na net pelo mundo afora, mas por incrível que possa parecer somente numa major consegui a informação correta qto ao nome do trabalho que eu já tenho faz tempo e que vem com nomes como disse de "a a z".
E aqui reside a mágica, o baterista do Loudness era nada mais nada menos que Munetaka Higuchi de quem já fiz um post aqui e ainda desafiei que me dessem 04 nomes de bateristas do mesmo nível mas os nomes teriam de vir de uma mesma pessoa e vieram centenas, mas o que se aproximou querendo me enrolar colocou o Munetaka como quarto,rs.

Acontece que por essas fatalidades do tal destino o Munetaka tb nos deixou, como já havia nos deixado Cozy Powell e por isso o Loudness parou, e até agora não sabem se voltam com outro batera ou não e vão fazendo trabalhos paralelos com a participação de um ou outro e pela amizade cada um desses trabalhos leva o nome do camarada, mas leva o nome Loudness junto.

Sei, sei, sou prolixo, escrevo demais como tb falo demais, mas não gosto de colocar algo aqui na galeria da toca que não fique explicado pra qqr um que passar, afinal nem todos sabem de tudo, como eu não tenho essa pretensão e por isso aprendendo e dividindo vou contando os casos do Lobo Velho em volta da fogueira e ouvindo o melhor da música que acho junto aos amigos e como é bom.
Com vcs, um super baterista de nome Munetaka Higuchi (arrebentando na imagem acima) homenageando seu ídolo Cozy Powell num show ao vivaço no Japão em 98 e o Loudness peitando os principais sucessos do bom R'R.

Loudness:

Munetaka Higuchi: Drums
Minoru Niihara: Vocals
Masayoshi Yamashita: Bass
Akira Takasaki: Guitars

01. Kill The King
02. War Pigs
03. Mistreated
04. Still I'm Sad
05. Higuchi's Solo
06. Burn
07. Long Live Rock And Roll
08. Stargazer
09. Light In The Black
10. All Night Long

"Super Rock Summit - Cozy Powell Forever Tour Live In Tokyo"

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

"Poeira Cast na Rock Fly"


Enjoy my Friends!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

7 de ago de 2009

Joe Satriani - Live in San Francisco - 2001

Como "a gente falamos bobagem não?"
Sim eu sei, a frase tá errada, mas é justamente como vemos algumas coisas que "apenas ouvimos dizer", "lemos em algum lugar" ou "alguém nos contou" e claro que não vou deixar passar esta oportunidade e explicar o porque desse início.
Eu confesso não ser um dos maiores fãs de JS, e prefiro em meu gosto particular ao Vai o qual eu troco pelo Zappa na primeira oportunidade rs, mas ele estaria entre aqueles que sempre merecem um espaço pelo menos aqui na "nossa alcatéia"por sua habilidade, bom gosto e caráter.

Prof.Satch como é carinhosamente chamado é amado por muitos mas queimado por ignorãncia tb por vários devido a alguns fatos obscuros de sua carreira e claro que se deve a sua participação no Purple que muitos dizem não ter dado certo e que teria sido sacado imediatamente ou que teria saído por não se sentir a altura.
Pura bobagem!!!!!
É aí que implico com aqueles e aquelas que classifico de puristas e que não dão oportunidade pra que a notícia como um todo vá de encontro a opinião pública e com sua observação pessoal faça o famoso "contraditório"; e aí então de posse das informações como um todo quem lê ou ouve tira suas próprias conclusões; o que não ocorre prq percebo nesses analistas músicos frustrados, jornalistas ídem e críticos mais ainda.

O Purple tem hj um dos maiores guitarristas da famosa nova geração, posterior a deles claro prq Mr.Morse tá na estrada a décadas, e prq então Satriani que é de uma vertente parecida e com talento comparável não vingaria? De onde surgiu isso, que o Purple não fala, prq nem de Mr Blackmore o Gillan fala mal e só diz que "até dividiam o mesmo quarto, mas que de uma hora pra outra a química acabou"?
Eles são de uma educação a toda prova e entrevistas mil não me recordo de nenhum deles falando mal do outro; claro que se provocam até hj, mas faz parte do emocional e do mental individual.

Mas voltando ao Joe Satriani, ele é tido como um dos melhores guitarristas de todos os tempos por verdadeiros especialistas e reverenciado por tantos outros, mas talvez por não ser um cara de marketing pessoal, seja um músico que anda ao lado de tudo que ocorre nas últimas décadas, mas nunca ficando pra tráz e sempre respeitando aos amigos como seu batera preferido Jeff Campitelli e outros que sempre estão ao seu lado como o próprio Vai no projeto "G3".
Dei toda essa volta prq hj tô afim de falar, agora precisa ver se vc tá afim de ler né? rs

Mas nesse show mais um mito cai por terra e "eu se divirto"dos críticos que dizem que um dos maiores baixistas de todos os tempos é constantemente vaiado ao ser apresentado nos shows. Stu Hamm ao vir para o Brasil bateu um papo com a imprensa em momentos variados e riu muito qdo perguntado como ele se sentia com essa discriminação e tal e o prq disso acontecer?
Ele parou, ficou olhando como quem diz: What?
É Mr Hamm, prq o vaiam tanto, o que rolou?

E ele rindo discreveu um pouco de sua vida e de sua carreira e principalmente ao lado de Satriani e da química que rola entre eles três; e aí disse que como o JS tem seu apelido, nesse show específicamente na cidade natal dele, o público estava reverenciando à ele como em todos os outros e gritando: Stuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!
Criação remetida à Steve Vai que sempre apronta como bom discipulo do Zappa, mas que sempre faz questão de reverenciar qdo entra no palco aquele que chama de mestre,Joe Satriani.

Um lobo velho sempre gosta de boas histórias e pra quem não sabe,apesar dele possuir inúmeros baixos, só usa um em suas turnês e que os verdadeiros baixistas na visão dele, são aqueles que usam os tradicionais baixos de apenas e tão somente 4 cordas, e que o resto é firúla; e ainda perguntado se o baixo desse problema como faria?
Ele rindo de novo responde: Mandaria buscar outro em casa.
Por essas e outras que se nota o talento de Joe Satriani não só em tocar, mas em se cercar do que ele considera os melhores e aqui aind conta com Eric Caudieux nos teclados e tb nas guitarras.
Prometi ao maninho Diego que faria esse post pra ele completar sua coleção de Satcha, promessa cumprida.

E a vc que conhece, ótimo, não ouviu? tire suas próprias conclusões,mas ao meu ver um dos melhores "Live" que já ouvi e vi.

Obs: Depois de montar o post achei essa explicação na Wikipédia sobre o fato relacionado ao Stu.

During this concert when Stuart Hamm's name is announced, it often sounds like the crowd is "boo"ing him. They are not "boo"ing him, but rather "Stu"ing him- early in their touring days in the late 1980s after a concert when Hamm's name was announced, the crowd was cheering "Hamm, Hamm, Hamm". Guitarist Steve Vai grabbed the mic and yelled "Stuuuuuuu". The yell stuck ever since. Joe Satriani notes in this Live in San Francisco concert, "They 'Stu' him because they love him".

However, it must be noted that there are a minority of Satriani's older fans who use the "Stuuuuu" cheer to actually boo Hamm, for a number of reasons, one of which is that some of Satriani's fans don't believe that Hamm is as good a bass player as Matt Bissonette (at the 2008 Satriani Satchafunkilus tour in Manchester, UK, there were at least 2 people holding up signs reading "Where's Matt?" and "Bring back Matt", referring to Bissonette). Another reason for the booing is that many fans who have attended multiple Satriani concerts notice that Hamm's bass solo has remained exactly the same over the years, unlike other virtuosic bass players who improvise at least part of their solos as opposed to playing a pre-notated solo.

Joe Satriani – Guitar
Jeff Campitelli – Percussion and Drums
Stuart Hamm – Bass
Eric Caudieux – Keyboards and rhythm guitar

1) Time
2) Devil's Slide
3) The Crush Of Love
4) Satch Boogie
5) Borg Sex
6) Flying In A Blue Dream
7) Ice 9
8) Cool #9
9) Circles
10) Until We Say Goodbye
11) Ceremony
12) The Extremist
13) Summer Song

1) House Full Of Bullets
2) One Big Rush
3) Raspberry Jam Delta-v
4) Crystal Planet
5) Love Thing
6) Bass Solo
7) The Mystical Potato Head Groove Thing
8) Always With Me, Always With You
9) Big Bad Moon
10) Friends
11) Surfing With The Alien
12) Rubina

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

4 de ago de 2009