30 de mai de 2011

"Live And Dangerous" and "Sight and Sound in Concert" Thin Lizzy (rip dvds)

Este é o típico post que acho difícil fazer sem nunca ter postado nada deles.
A importância deles pra música é tal e muitos ainda desconhecem por completo sua essência, e por isso a dificuldade em simplesmente sair fazendo comentários quaisquer que sejam.

Então junto a mais um trabalho do maninho Poucosiso, trouxe o que pude e desse pra explicar quem são e porque da sua importância e também o porque de uma postagem desta valer a pena.

São dois vídeos de duas das melhores fases dos caras com o maluco e idealizador de tudo Phill Lynott e seu bando de musico fantásticos, basta baixar e viajar, aproveite e vá lendo enquanto ouve se não conhece muito e se já é viajado na "parada" é afortunado como poucos por conhecer uma das melhores bandas que já surgiu no planeta.

"Thin Lizzy é uma banda de hard rock da Irlanda, formanda em Dublin no ano de 1969. A banda foi liderada, ao longo de sua carreira, pelo cantor e compositor Phil Lynott, e são conhecidos por hits como "Whiskey in the Jar", "Jailbreak" e "The Boys Are Back in Town", todos sucessos internacionais tocados regularmente em estações de rádio especializadas em hard rock e rock clássico. Após a morte de Lynott, diversas encarnações da banda surgiram ao longo dos anos, que culminaram numa formação mais estável baseada em torno dos guitarristas Scott Gorham e John Sykes.
Sykes abandonou a banda em junho de 2009.

Como líder do Thin Lizzy, Lynott compôs ou co-compôs a maior parte das canções da banda. Também foi um dos poucos negros a conseguir algum sucesso significativo no hard rock. Além de ser multirracial, a banda também se notabilizou por recrutar membros em ambos os lados da fronteira irlandesa (com membros nascidos na Escócia, Irlanda do Norte, Inglaterra e, ainda, Estados Unidos), e das comunidades católica e protestante da ilha.

Sua música reflete uma ampla gama de influências, incluindo a country music, o rock psicodélico, a música irlandesa e a música tradicional folclórica daquele país; porém é classificada geralmente como hard rock ou, por vezes, heavy metal.
A revista Rolling Stone descreveu a banda como "distintamente hard rock", "muito distante da matilha zurrante de meados da década de 70".

John Dougan, crítico do site Allmusic, escreveu que "como a força criativa da banda, Lynott era um compositor mais inteligente e perspicaz que muitos de sua classe, preferindo os dramas de amor e ódio cotidianos da classe operária, influenciado por Bob Dylan, Van Morrison, Bruce Springsteen e virtualmente quase toda a tradição literária irlandesa."Van Morrison, Jeff Beck e Jimi Hendrix foram grandes influências durante o início da banda,e entre as influências posteriores estão os artistas americanos Little Feat e Bob Seger.
Em maio de 2010 foi anunciado pelos remanescentes do thin lizzy um retorno com uma nova formação para 2011.
"In case you were wondering, the Live And Dangerous DVD is not simply a concert video recording of the band's seminal 1978 live double album of the same name. The Live And Dangerous album was actually pieced together from various shows during Thin Lizzy's 1977 tour and, supposedly, it also featured more re-recorded parts than even Kiss Alive. I mean no disparagement as both are among my all-time favorite "live" rock albums, but I do prefer them 100% live and untouched.

The Live And Dangerous DVD features a concert that was recorded at The Rainbow Theater in London on March 29, 1978, and was first aired on British TV to promote the new live album. The show was also released the same year on VHS video. The performance features a tight, 11-song set that showcases what a dynamic live act Thin Lizzy were, and what a memorable group of songs they churned out in such a short period.While most bands today would be hard pressed to squeeze out two albums in a five year span, Thin Lizzy spit out Nightlife, Fighting, Jailbreak, Johnny The Fox, Bad Reputation, and Live And Dangerous between 1974-1978 — and they all rocked.

The video begins with a prerecorded version of "Rosalie" playing in the background as the road crew are shown setting up the band's equipment at the venue. In fact, Thin Lizzy used to open for — and became big fans of — Bob Seger, which is how their muscular cover of this song came about. And speaking of Seger, where in the hell is his concert DVD?!The concert kicks off with the band's best known song, "The Boys Are Back In Town," and these boys leave no doubt that something special lay in store on this night. Featuring their quintessential line-up of Phil Lynott (vocals/bass), Scott Gorham (guitar), Brian Robertson (guitar), and Brian Downey (drums), Thin Lizzy were, by this point, at the peak of their powers.

What follows is a non-stop barrage of intense rockers, easing up only briefly for the stunning ballad, "Still In Love With You," Lynott's poignant vocal performance demonstrating part of why he became such a star.

One of the highlights of the set is the light and funky "Dancing In The Moonlight," replete with some killer sax from John Earle, spilling right into an alternately merciless "Massacre." "Sha La La" features a short drum solo from the underrated Brian Downey (essentially John Bonham with a double-bass drum), proving that this band could rock just as hard as any other. They close the show with a previously unreleased song, "Me And The Boys," which was not included on the Live And Dangerous album.The original full-screen picture has been restored quite nicely, and the DTS 5.1 surround remix is certainly an improvement over the original audio source, but don't expect an heroic Led Zeppelin-like DVD restoration here. It still looks and sounds very much like a '70s concert film. However, in spite of its split-screen, slow-motion, and superimposed video techniques, which were were common in music videos of this era, the terrific camera work effectively transports you right back to this 1978 night with a front row seat.

The extras are highlighted by a Sight & Sound In Concert feature, which was filmed during Thin Lizzy's farewell tour of 1983 on the eve of the release of their final studio album, Thunder And Lightning. This 46-minute, 8-song set, which features then-present Lizzy guitarist John Sykes on guitar instead of Brian Robertson, is nearly as good as the main feature.

The extra features also include five Thin Lizzy performances from the British Top Of The Pops television show between 1973 and 1979, a 45-minute interview from 2007 with Brian Robertson, Scott Gorham and Brian Downey, and a Live From Derby (1975) bonus CD that includes seven tracks. All of these extras make this DVD a bargain.

It's been a long time coming, but the new Live And Dangerous DVD certainly lives up to the hype.

"Live And Dangerous"
Lineup:
Phil Lynott - lead vocals, bass guitar
Scott Gorham - lead guitar, backing vocals
Brian Robertson - lead guitar, backing vocals
Brian Downey - drums, percussion

with:
John Earle - saxophone on "Dancing in the Moonlight"
Huey Lewis - harmonica on "Baby Drives Me Crazy"

At the time of the recording, John "Irish" Earle was in Graham Parker & the Rumour, and Huey Lewis was in Clover. Both of these groups were support acts for the tours that made up this album. Earle, born in 1944, died on 7 May 2008 in his native Dublin.

Set List
01. Rosalie
02. The Boys Are Back In Town
03. Emerald
04. Dancing In The Moonlight
05. Massacre
06. Still In Love With You
07. Don't Believe A Word
08. Are You Ready
09. Sha La La
10. Baby Drives Me Crazy
11. Me And The Boys

Bônus: "Sight & Sound in Concert" – January 26, 1983 (BBC TX 5/2/83) - 45 minutes:Archive performance by Irish guitar rockers Thin Lizzy in concert at the Regal Theatre, Hitchin. The set includes Jailbreak, Cold Sweat and The Boys Are Back In Town.

Archive performance by Irish guitar rockers Thin Lizzy in concert at the Regal Theatre, Hitchin on 26th January, 1983.

This was at the start of their farewell tour, and the first public performance with John Sykes in place of Snowy White on lead guitar.Lineup:
Phil Lynott – bass, lead vocals
John Sykes – guitar
Scott Gorham – guitar
Brian Downey – drums
Darren Wharton – keyboardsSetlist:
01. Jailbreak
02. Cold Sweat
03. The Sun Goes Down
04. The Boys Are Back in Town
05. Rosalie
06. Baby Please Don’t Go


Enjoy!!!!!!!!!!!

28 de mai de 2011

Locanda Delle Fate "Forse Le Lucciole Non Si Amano Piu" (1977)

Acho que o tempo vai tornando os lobos mais lentos, mas um pouco mais observadores e não se resume só à visão, olfato, tato, audição(até pensei que na envelhescência os lobos ficassem surdos, que bom não!!!).

E com isso ao fazer meus passeios noturnos vou ouvindo pelo mundo afora canções de todos os tipos, formas e cores.... sim porque as músicas tem cores e se vc duvida basta perguntar à quem não tem a visão prq os que têm não notam muito bem este fator.

Voltando ao tema em questão, não é segredo este "viejo lobo" como diz Omar, ter uma afinidade apaixonante pelo som italiano e como ele é desenvolvido; apesar que depois de ouvir Almendra (argentino) e o Som Nosso (brazuca) sempre fica uma dúvida de qual seria mais perfeito e não encontrei ainda uma resposta então continuo a procura da essência!!!

Mas no final de semana que passou o Alberto brindou a todos nós com uma programação especial em nossa rádio "Rock Fly" e ouvi tanta coisa boa que quase pirei, e ouvindo mais atentamente um som, me lembrei claramente de uma de minhas visitas a "velha bota" e o amor brotou impulsivo e faminto, chegando a voracidade e a necessidade de ouvir mais e mais até cansar....mas ainda não cansei, pois há anos que ouço este som e cada vez parece uma outra obra.

Mas como um Lobo que se preza, desvio do caminho sempre, mas não a toa, e aqui está mais uma jóia da música italiana, do som chamado de "rock progressivo"; o qual sempre discordando classifico de música maravilhosa.

Sei que não é um post raro nem único afinal vários blogs já postaram mas qualifico entre os ótimos e aqui ele já foi deletado várias vezes e por isto insisto em mantê-lo em exposição.

Sua postagem original foi em 2008 e repostado em 08/10/09 vejam só como é a net, mas achei ouvindo novamente e aí está como foi feito à época com algumas pequenas adaptações.Locanda delle Fate è un gruppo musicale di progressive italiano originario della zona di Asti.
Fondato negli anni '70, il gruppo si sciolse nel 1977, dopo aver inciso un unico album (Forse le lucciole non si amano più). Alla fine degli anni '90 la formazione si è ricostituita, pubblicando un secondo lavoro, Homo homini lupus.

La Locanda delle Fate si affacciò sulla scena discografica italiana nel 1977, con l'uscita del loro primo e unico album per la Polydor, Forse le lucciole non si amano più. Lo stile di quest'opera collocava il gruppo nettamente nella tradizione del rock progressivo italiano (Premiata Forneria Marconi, Banco del Mutuo Soccorso) che, negli ultimi anni del decennio, stava declinando in Italia come all'estero.

L'album venne salutato dalla critica come uno degli esempi più compiuti di progressive romantico realizzato in Italia, ma non ebbe successo commerciale. Il gruppo pubblicò due singoli più commerciali nel 1978 e nel 1980 (il secondo sotto il nome abbreviato "La Locanda") per poi sciogliersi
.Tra la fine degli anni '80 e l'inizio degli anni '90 il progressive e il neoprogressive italiani iniziarono ad avere nuovamente un proprio pubblico (sia in Italia che all'estero, in particolare Giappone e Corea), e nel 1993 venne pubblicato un disco dal vivo della Locanda, Live, tratto da una registrazione del 1977.

Contemporaneamente, il gruppo iniziò a considerare la possibilità di dar luogo a una "reunion". Nel 1999 fu pubblicato il secondo album della Locanda delle Fate, Homo homini lupus. La formazione non era la stessa del '77 (mancavano il cantante Leonardo Sasso e il tastierista Michele Conta, che appare in un solo brano).

L'album fu abbastanza apprezzato ma viene in genere considerato decisamente inferiore al precedente.

Nel 2006 La Locanda aveva annunciato una imminente ricostituzione del gruppo nella sua formazione originale e l'intenzione di lavorare a un nuovo album, prodotto da Niko Papathanassiou (fratello di Vangelis e produttore di Forse le lucciole), ma il progetto è fallito.
Formazione
Leonardo Sasso - voce
Ezio Vevey - chitarra solista, voce
Luciano Boero - basso
Giorgio Gardino - batteria
Alberto Gaviglio - flauto, chitarra, voce
Michele Conta - pianoforte, tastiere
Oscar Mazzoglio - tastiere
Discografia

Album

Forse le lucciole non si amano più, Polydor 1977.
Ripubblicato su CD da Polydor nel 1992
Live, Mellow Records 1993
Homo homini lupus, Vinyl Magic 1999
Singoli
Non chiudere a chiave le stelle/Sogno di Estunno.
Polydor (da Forse le lucciole non si amano più)
New York/Nove lune. Polydor 1978
Annalisa/Volare un po' più in alto. RiFi 1980 (con il nome di "La Locanda")
Texto original: "Portale Rock Progressivo"

Gustare!!!!!!!!!!

27 de mai de 2011

Gov't Mule - 1996 "Nescafé and Blues"

"Este é o vídeo do Show do Gov't Mule - 1996 Nescafé & Blues Festival May 30.

Aconteceu em São Paulo e pena, não achei o show na integra.
O que circula pela rede é este AVI que estou disponibilizando, com pouco mais de 400 MB e cerca de 35 minutos de filme.

Não tem uma qualidade de vídeo boa, mas satisfaz assim como o áudio.
Ainda como trio, na formação original, a performance deles é indiscutível, fantástico!!

Vale a pena conferir.

"Saudações."

Poucosiso

O maninho Poucosiso já disse tudo mas tenho de acrescentar do prq implico com todo mundo que cisma de cantar Blues; não é pra qqr um como o Warren Haynes fz e não é a toa que o cara tem a banda dele e ainda é o queridinho no Almann Bros agora nos duetos com Derek Trucks, que é um talento inegável, mas sempre fica um pouco mais atrás do Warren nos shows, é só prestar atenção no respeito que ele e outros tem pelo cara.Tá aí um presentinho do pai da Ana, valeu irmão e bjs Aninha, Paulo H., Eduardo Jr e Sil!!!

Obs: repostando essa jóia (pra mim é,rs)de 21/06/09

Enjoy!!!!!!!!!!!

25 de mai de 2011

Ray Brown Trio "Some of my best friends are...guitarists"

Voce sabe o que é um amigo ou amiga?

São aquelas pessoas que enquanto alguns esperam a aparição de um anjo pra salvá-las, estendem a mão e com as forças que tem ajudam vc a se levantar.

Amigos os tive a vida toda, desde ainda um pequeno lobo e foram muitos mesmo, pena passarem e cada um seguir suas vidas, mas vão surgindo novos como vc tb acaba entrando na vida de outros seres, lobos ou não e assim segue a vida.

Mas, todavia, entretanto e contudo, amigos são raros e devem ser conservados apesar de nem sempre conseguirmos prq os lobos e os humanos tem algo em comum que é o temperamento e muitas vezes "narciso acha feio aquilo que não é espelho"; e só ai se dá conta depois de perdida a peleja, mas tenho pena destes que enxergam canhestramente assim.

Sou um afortunado e bafejado pelos ares da bonança pelo bem que pude fazer e pelo mau que pude evitar, apesar de tb tê-los cometido sim, mas posso hoje entrar na toca e ouvindo um dedilhar de Billie Sheehan no disco em homenagem ao Peter Green (postado aqui heim?)dedilhar estas palavras e dar graças pelos amigos.

Aqui está mais um presente pra gente de um amigo, e graças que são vários e a tal ponto que nem no Seres da Noite eu tô tendo tempo de roubar os lançamentos que o morcegão postou,rs.

Alto nível, qualidade impecável e todo carinho que só um amigo dedica......do ZM pra todos nós daqui."For the fifth in his Some of My Best Friends Are... series, master bassist Ray Brown has chosen guitar players as his playing companions.

Joining Brown and his trio are six select string men running the gamut of styles and inclination from the straight ahead jazz of veteran Herb Ellis through the cool, blues inflected strumming of Kenny Burrell to the post and neo Bop offerings of Swedish guitarist Ulf Wakenius.

In between there are the familiar names of Bruce Forman, Russell Malone and John Pizzarelli. Everyone is in good form for this session, especially John Pizzarelli with a swinging, improvisional "Tangerine".

Bruce Foreman brings his bop and beyond style to his composition "Blues For Wes". In fact, there's more than one blues inflected tune on the list played by Ellis, Burrell and Wakenius. The offering by Burrell is in memory of another jazz legend, the recently departed Billy Higgins.

Malone shows his sophisticated, subtle guitar on a laid back but saucy "Little Darlin". Brown has his regular trio with him and by this time they have no problem fitting right in with the smorgasbord of styles they are called upon to back during this series.

Each track is a gem as one might expect on a session headed by Brown who has played with just about anyone who counts in jazz over a career that has spanned almost 60 years! This release is a four star effort of more than 65 minutes and is recommended
."Personnel:
Ray Brown - Bass;
Geoff Keezer - Piano;
Karriem Riggins - Drums;
with: Kenny Burrell, Herb Ellis, Bruce Forman, Russell Malone, John Pizzarelli, Ulf Wakenius - Guitar

Track Listing:

Squeeze Me;
I Want to Be Happy;
Heartstrings;
Blues for Ray;
Fly Me to the Moon;
The Song Is You;
Little Darlin';
Blues for Junior;
Tangerine;
My Funny Valentine;
Blues for Wes;
Soulful Spirit.

Enjoy!!!!!!!!!!

23 de mai de 2011

Glenn Hughes "Soulfully Live " (second part)

Quem não faz direito tem de fazer duas vezes,rs.

Resolvi ao surrupiar do Poucosiso só trazer o vídeo postado logo abaixo, mas aí ele me lembra que o pacote completo incluía um cd duplo também e pra me penitenciar, faço um post separado só do disco então com um pouco mais do mesmo, mas que sempre fica faltando pra fãs como eu.

Valeu Poucosiso sempre atento, prq esse lobo aqui já pirou faz tempo.

A recording of a performance by former Deep Purple singer, Glenn Hughes.

During the 15 years following Deep Purple's initial split in 1976, singer/bassist Glenn Hughes issued albums on an extremely sporadic basis.

Then came the early '90s (which saw Hughes get clean and sober), and the floodgates opened once more, as Hughes began feverishly making up for lost time -- issuing 17 albums between 1992 and 2005, both as a solo artist and as a collaborator with others (Joe Lynn Turner, Tony Iommi, etc.).

Perhaps wanting to prove that he still possessed "live chops," Hughes arranged an intimate performance in Los Angeles during early 2004, with an audience comprised of both friends and fans.
Backing him was friend and Red Hot Chili Peppers drummer Chad Smith (whose playing here is more straight-ahead than, say, the gonzoid drumming of Mother's Milk), as well as two guitarists, a keyboardist, and two backup singers.

Issued as a two-CD set, Soulfully Live in the City of Angels does a fine job of proving that Hughes is musically and vocally stronger than ever. Longtime Hughes fans will undoubtedly be pleased with the all-encompassing track list, as it includes tracks from both Hughes' solo outings and Deep Purple-era gems. Standouts include the album-opening hard rocker "Can't Stop the Flood," the melodic (almost King's X-ish) "Wherever You Go," the slow-burning blues rocker "Seafull," and a great set-closing Purple trio, "Mistreated," "Gettin' Tighter," and "You Keep On Moving." As if that weren't enough reason to buy, there are also a pair of bonus studio tracks tacked on the end -- "The Healer" and "Change."
~ Greg Prato

Special 'Ecol-Book' edition of the Deep Purple vocalist's 2004 release is limited to one pressing & includes one exclusive bonus track 'Change'.
Frontiers.

Italian version features one extra song.


Disc 01

1. Can't Stop the Flood
2. Higher Places
3. Written All Over Your Face
4. Medusa
5. Wherever You Go
6. Seafull

Disc 02

1. Coast to Coast
2. First Step of Love
3. Mistreated
4. Gettin' Tighter
5. You Keep on Moving
6. The Healer [Studio Track][*]
7. Change [European Studio Track][*]

Enjoy!!!!!!!!!!!!

22 de mai de 2011

Helmut Köllen "You Won't See Me" (vinyl rip)

Atenção amantes e detratores do Triumvirat, como adoro fuçar vou encontrando outras coisas pra gente degustar e este foi justamente da figura mais "estranha" da banda ao meu ver (será que era um lobo?) e por isso mesmo vale uma postagem.

Uma pena encontrarmos poucos registros deste nível por aí, mas como vai dando e contornando os perrengues da vida, aí está mais uma daquelas que podemos dizer, quer conhecer?
Então baixe logo.

"Corria o ano de 1977.
O multi instrumentista Helmut Köllen havia deixado a banda alemã de Rock Progressivo Triumvirat, um dos melhores grupos do gênero.

Köllen iniciara uma carreira solo e de forma amigável, pois contava com a participação nos órgãos de Jürgen Fritz, companheiro de sua antiga banda, que também produziu o trabalho.

Provavelmente foi nessas gravações que Fritz conheceu Matthias Holtmann, que tocou bateria aqui: ele viria a ser o baterista do Triumvirat no album "A la carte" e também tocaria no vídeo (raro) de "The hymn" (do álbum "Pompeii").

O mesmo aconteceria com Dieter Petereit, baixista adicional de "You won't see me", que entraria para o Triumvirat nas gravações de "Pompeei".
O trabalho solo de Köllen leva o nome de uma canção dos Beatles coverizada por ele de forma genial, "You won't see me".

Esse título se fez profético, pois o grande compositor foi encontrado morto na garagem de sua casa após o lançamento do álbum.
Não se sabe o motivo.

Musicalmente, não lembra as composições do Triumvirat, sendo mais voltado ao Classic Rock que se fazia naqueles tempos.
Logicamente, o baixo tocado por ele é o grande destaque, já abrindo o disco com "It's hard to love you".

Esse trabalho nunca saiu em CD.

Ele chegou a sair em tiragem nacional no formato vinil em 1977 em uma única tiragem que se esgotou naquele mesmo ano. Ou seja, está desde 1977 fora de catálogo no Brasil e desde o fim dos anos 70 excluído das prateleiras da Europa e de outras localidades também.
Resumindo: quem comprou na época, comprou.. quem não comprou ( http://bootlegsraros.blogspot.com/2011/04/helmut-kollen-you-wont-see-me-1977.html
)""This is an excellent album produced and recorded by Jürgen Fritz, who also plays keyboards. The drummer was Matthias Holtmann, who played on "Ala Carte", and who appears in the " The Hymn" video.

EMI/Harvest German import (1977) Recorded at Conny's Studio Wolperath, Germany 10-11/76

Helmut Köllen: bass, acoustic and electric guitars and vocals
Dieter Petereit: bass
Matthias Holtmann: drums
Jürgen Fritz: keyboards, producer
Brigitte Witt: backing vocals
Elke Köllen: backing vocals
The Horn and String Section

Tracklist:

It's Hard To Love You 5: 46
I'll Walk On The River 3:53
Station 3:19
Dear Poor Boy (not listed))
Playin' This Song Together (not listed)
Listen Lady 4:38
Mainstreet 4:17
The Story Of Life 4:23
You Won't See Me 6:03

This album is dedicated to Helmut's mother and father.

Site oficial
Enjoy!!!!!!!

20 de mai de 2011

Glenn Hughes - Soulfully Live in the City of Angels

O baixista e vocalista Glenn Hughes é um dos nomes mais respeitados do Rock, e não por acaso. Em sua longa e vitoriosa trajetória, ele integrou bandas como Deep Purple e Black Sabbath, além de construir uma sólida carreira solo.

Hughes lançou o ao vivo “Soulfully Live In The City Of Angels”, registrado no dia 11 de Janeiro de 2004, numa apresentação fechada em Los Angeles, para convidados e fãs selecionados através de seu site oficial.
Com gravação e produção impecável, o disco traz faixas de diversas fases da carreira do músico, todas interpretadas com o peso e ‘groove’ tão característicos de Glenn Hughes.

Por não se tratar de um show “normal”, o clima é bem mais descontraído e permite algumas experimentações e convidados especiais. Marcam presença aqui, por exemplo, os vocalistas Kevin DuBrow (Quiet Riot) e Alex Ligertwood (Santana).

A banda de Hughes também é de fazer inveja e conta com o baterista Chad Smith (Red Hot Chili Peppers), os guitarristas JJ Marsh e George Nastos, e o tecladista Ed Roth.
Por ser um álbum duplo, é inevitável pensar que “Soulfully Live In The City Of Angels” poderia ter mais músicas em seu ‘track list’. Isso porque o primeiro disco tem pouco mais de 40 minutos de duração, enquanto que o segundo soma 50, incluindo as duas faixas bônus gravadas em estúdio: “The Healer” e “Change”.

As canções, entretanto, são longas e acabam satisfazendo os ouvintes. Os destaques ficam com “Mistreated”, “Getting’ Tighter” e “You Keep On Movin'”, do Deep Purple, além de “Medusa” e da maravilhosa “Seaful”, do Trapeze.

Em “Soulfully Live In The City Of Angels”, Glenn Hughes dá uma verdadeira aula de carisma, talento e técnica. E para quem quiser conferir sua performance com maiores detalhes, estou disponibilizado um avi do DVD do show que desta vez ficou bem compacto, ao gosto da maioria.

PoucosisoBorn on August 21, 1952 in Cannock, England Glenn Hughes left school at the age of sixteen to play in various local groups. One of them, Finders Keepers, changed their name to Trapeze and went on to rise to world fame. The band's illustrious line-up (apart from Hughes, the band included Whitesnake guitarist-to-be Mel Galley and drummer Dave Holland, who went on to join Judas Priest) brought out a total of three albums, with particularly "You are the Music, We're Just the Band" (1972) causing a sensation. June 1973 saw the two Deep Purple members Ian Gillan and Roger Glover, leaving the band.

The strong-voiced musician followed the call of Deep Purple, turning down an offer by Electric Light Orchestra. Vocalist David Coverdale was enlisted simultaneously to replace Ian Gillan and the band reached another zenith of their creative power. The "Burn" album is without doubt one of the best Purple releases of all time and its successor "Stormbringer" was similarly impressive. Particularly the complementing combination of front man David Coverdale whose bluesy timbre suited the new tracks extremely well and Glenn Hughes with his seemingly unlimited vocal range, turned out to be an unbeatable team.

Hughes also manouvered Deep Purple into a more funky open direction and was probably one of the main reasons why guitarist Ritchie Blackmore left the group in 1975 to found Rainbow. Former James Gang guitarist Tommy Bolin replaced Blackmore and they recorded the album "Come Taste the Band" (1975). Tragically, Bolin died of a heroin overdose in 1976, which meant the end of Deep Purple.

The end of the band was the beginning of Hughes' extensive travels through the whole hard n' heavy scene. The list of bands, projects and solo albums by other artists in which he participated over the course of the next 25 years seems almost endless. From Black Sabbath's Seventh Star (1986), to the KLF's "America: What Time is Love" a US mega hit in which the KLF dubbed him "The Voice of Rock".His solo albums have also been hugely successful starting with funky rock on "Play Me Out" (1977) to the legendary rock release Hughes/Thrall with guitarist Pat Thrall in 1982, to his 1994 album "Burning Japan Live". 1995 saw the more soulful "Feel" to his most recent "Return of Crystal Karma" (2000). His release in 2001 of "Building the Machine" had a special intensity due to its excursions into the spheres of funk and soul and received rave reviews on a worldwide basis. In 2002, Glenn joined up with his good friend, Joe Lynn Turner, to form and record an incredible creative journey entitled "HTP". Never before had the industry seen such a powerful pairing of two of the greatest singers in Rock and Roll. In 2003 he returned with a new solo cd : "Songs In the Key of Rock", a strong return to Glenn's rock and roll roots combine with a vintage yet fresh approach to the songwriting.

The year 2004 brings "Soulfully Live In The City Of Angels": a welcome summation of Glenn's progress during time and a permanent reminder of his considerable heritage. Available as a double audio CD and a single-disc DVD, it was shot on January 11th 2004 before an audience of friends and selected regulars at www.glennhughes.com.

Those privileged enough to have graced the soiree in the intimate setting at Sound Image studio in North Hollywood witnessed the bassist/vocalist's current band of long-time guitarist JJ Marsh and keyboard player Ed Roth being swelled by none other than Red Hot Chili Peppers drummer Chad Smith.Musicians:
Glenn Hughes (Vocals, Bass)
J. J. Marsh (Guitars)
George Nastos (Guitars)
Ed Roth (Keyboards)
Chad Smith (Drums)

Guest Appearances:
Kevin DuBrow, Alex Ligertwood (background vocals)
Chad Smith appears courtesy of Warner Bros. Records

Tracklist:

01- Cant stop the flood,
02- Higher places,
03- Written all over your face,
04- First step of love,
05- Seafull,
06- Wherever you go,
07- Coast to coast,
08- Medusa,
09- Mistreated,
10- Gettin tighter,
11- You keep on moving.

Enjoy!!!!!!!!!!!

G3 concert : Kang ino - As the leaves


Gosto sempre de postar algo que se possa levar, mas da Korea tá meio difícil conseguir esse show fantástico, que pena que mesmo no século 21 ainda temos ou pelo menos tenho estas limitações.

Uma da melhores apresentações que já vi na minha vida de um guitarrista fantástico, que já tem postado por aí seus álbuns, e aqui tb.

Espero gostem como eu e como disse ao Cláudio, assim notamos vida inteligente em cada canto desse planeta, e não só nos mesmos de sempre.

Obs: Quem puder e achar algo é só dar um toque,rs

Enjoy!!!!!!!!!!

18 de mai de 2011

Triumvirat "The Bonus Tracks 72/78"

Como muitos sou um fã inverterado do Triumvirat e podem dizer o que quiser deles "cópia do ELP", "sem conteúdo", "sem sal", ah sei lá pouco me importa, prq eu e o Ricardo somos parados neles e pronto.

Aí pipoca na minha toca um post da minha querida Luciana (não tão querida como antes prq nem me liga mais, mas ainda a tenho com muito respeito e carinho por sua empreita pelo seu rock progressivo que defende até brigando comigo,ré,ré,ré)e justamente uma compilação que nem sempre traz o que há de melhor mas sempre o querem tirar das gavetas empoeiradas das gravadoras pra se fazer um trocado.

Fuçador e curioso lá fui eu e claro que já conhecia as músicas mas a compilação ficou muito boa mesmo de se ouvir e fiquei bem feliz ao baixar, mas ao montar achei tb o post que o Gustavo (ih esse tb ficou bravo comigo sabem prq? Ele gosta do Phil Collins e eu vou lá e desço a lenha qdo ele posta Genesis, claro que é tipo prq já baixei o álbum, mas que torro eu torro,rs) havia feito e aí juntei as duas opiniões desses experts em prog e aí está, um belo disco pra quem gosta da banda alemã."Sem muito o que dizer sobre esse registro, trata-se de uma compilação com todas as faixas bônus relançadas pela EMI em 2002 quando remasterizou os álbuns desta que é uma das bandas mais influentes do mundo progressivo.

Aqui encontramos as faixas bônus dos discos: Mediterranean Tales (1972), Illusions On A Double Dimple (1973), Spartacus (1975), Old Loves Die Hard (1976), Pompeii (1977) e A La Carte (1978).

Aos colecionadores, outro belo presente!

Luciana Aum

"É tão difícil conseguir algum material a respeito do Triunvirat que quando vi este álbum, não pensei duas vezes em postá-lo aqui no blog, mas como de costume, sempre dando o crédito para a origem do material que encontrei no blog DREAM EXPRESS.

As músicas de "The bonus tracks (1972-78)" não são 100% inéditas, pois boa parte foi inserida como bônus e estão presentes nas remasterizações que os álbuns anteriores do Triunvirat passaram a alguns anos atrás quando foram relançados aqui no Brasil.

De qualquer forma, fica como mais um álbum para esta magnífica banda que tão bem representou o cenário progressivo internacional em uma época em que atuavam diversas bandas de renome internacional, consagradas mundialmente, o que não impediu ao Triumvirat deixar também seu nome gravado na história da música contemporânea, tornando-se um de seu expoentes."
GustavoTRACKS:

01. Be Home For Tea
02. Broken Mirror
03. Ride In The Night
04. Sing Me A Song
05. Dancer's Delight
06. Timothy
07. Dimplicity
08. Million Dollars
09. The Capital Of Power (live)
10. Showstopper
11. Take a Break Today
12. The Hymn (Edit)
13. Waterfall [Edit]
14. Jo Ann Walker [Edit]

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!

16 de mai de 2011

The Beach Boys "50th anniversary" and Surfin'USA gold edition

Brian Wilson: "Estou a considerar juntar os Beach Boys"
Músico norte-americano diz que poderá juntar-se aos ex-colegas para celebrar o 50ª aniversário da banda, que se completa este ano.


Brian Wilson abriu a porta a uma reunião dos Beach Boys. Em entrevista à BBC, o músico norte-americano disse: "Estou a considerar juntar os Beach Boys. Ainda não sei mas estou a considerar essa hipótese. Não há nada que me impeça, para dizer a verdade. Apenas não sei se quero estar com aqueles gajos. Eles são uns brincalhões. São loucos".

Os Beach Boys juntaram-se em 1961, ou seja, completam este ano 50 anos de existência. Caso Wilson se junte a Mike Love e Al Jardine, esta será a primeira vez que os elementos vivos dos Beach Boys (Dennis Wilson faleceu em 1983 e Carl Wilson em 1998) tocam juntos em quase 20 anos.

Wilson (de 68 anos), que continua a manter uma carreira a solo, disse na semana passada que tenciona afastar-se das atuações ao vivo em 2012.Lançado no início de 1963, “Surfin’ USA” é o segundo álbum de estúdio do The Beach Boys.

Com o estilo marcante do Surf Rock, este foi o segundo álbum do grupo a ser creditado com a produção de Nick Venet, representante de artistas e repertório da Capitol Records.

O álbum é mais bem produzido e tocado que o primeiro disco da banda, Surfin’ Safari.

“Surfin USA” é notável por dar ao The Beach Boys seu primeiro grande sucesso com uma faixa-título, e pelo aumento das proezas de Brian Wilson na composição, assim como nos arranjos vocais.

Este disco afirma a originalidade da banda, criando um “som próprio e único”.A faixa-título, “Surfin’ USA” tornou-se o primeiro grande sucesso do The Beach Boys nos Estados Unidos, foi disco de ouro e figurou no Top 10, chegando a número 2. Em 1965, durante o relançamento no Reino Unido, “Surfin’ USA” foi número 17. A canção, enquanto originalmente creditada como composta por Brian Wilson, é uma cópia direta de Sweet Little Sixteen, de Chuck Berry.

Com a ameaça de uma ação judicial, foi dado oficialmente crédito a Berry pela canção. A canção “Surfin’ USA” faz parte da lista The Rock and Roll Hall of Fame’s 500 Songs that Shaped Rock and Roll.

O single “Surfin’ USA” b/w “Shut Down” (Capitol 4932) foi lançado na América em 4 de março de 1963 e teve grande sucesso, chegando a número 1 no Canadá, número 3 nos Estados Unidos, número 6 na Suíça, número 9 na Austrália e número 34 no Reino Unido em junho de 1963. Beach Boys Surfin' USA / Surfer Girl, Rare Collectors 24-track limited edition Mobile Fidelity 'Ultradisc' 24-karat GOLD plated audiophile CD manufactured in Japan.

Features a pair of early Beach Boys LPs. Mastered directly from the original master tapes, unique black & gold bordered picture sleeve with booklet including the complete original artwork.Tracks:

01. Surfin' U.S.A.
02. Farmer's Daughter
03. Misirlou
04. Stoked
05. Lonely Sea
06. Shut Down
07. Noble Surfer
08. Honky Tonk
09. Lana
10. Surf Jam
11. Let's Go Trippin'
12. Finders Keepers
13. Surfer Girl
14. Catch A Wave
15. The Surfer Moon
16. South Bay Surfer
17. The Rocking Surfer
18. Little Deuce Coupe
19. In My Room
20. Hawaii
21. Surfer's Rule
22. Our Car Club
23. Your Summer Dream
24. Boogie WoodieTracks 1-12 originally from Surfin' U.S.A. LP, March 1963.
Tracks 12-24 originally from Surfer Girl LP, September 1963.
Original recording produced by Brian Wilson.
Officially-listed producer for Surfin' U.S.A. by Nick Venet.

Download - The Beach Boys: Surfin' U.S.A. / Surfer Girl [MFSL UDCD521]

Part 01
Part 02
Part 03

or

Part 01
Part 02
Part 03

Enjoy!!!!!!!!!!!

15 de mai de 2011

Carlos Santana - Lotus 1974

Me deu uma vontade louca de matar saudades....sabe aquele sentimento de ouvir algo assim mais antigo e mais datado?

Talvez daqueles discos que rolavam na "vitrola" qdo eram raros vc conseguir novidades até por falta de grana e qdo conseguia um emprestado ouvia o máximo que desse pra que aquelas notas ficassem gravadas na alma.

Acho que é o caso deste aqui que já postei faz muito tempo e rodou como outros mas que hoje trago com essa emoção junto,ouvir algo que seja o mesmo sim, mas nunca imitado, seja o mesmo do "cara", mas que só ele poderia fazer outro.

Continuo achando que Santana é o cara e aqui mais viajante que nunca...(viu Juca,rs).Tracklist:

Santana - Lotus (CD 1)

01. Going Home [3:32]
02. A-1 Funk [3:12]
03. Every Step of the Way [11:30]
04. Black Magic Woman [3:38]
05. Gypsy Queen [3:57]
06. Oye Como Va [5:46]
07. Yours Is the Light [5:30]
08. Batuka [0:54]
09. Xibaba (She-Ba-Ba) [4:12]
10. Stone Flower (Introduction) [1:13]
11. Waiting [4:13]
12. Castillos de Arena Part 1 (Sand Castle) [2:51]
13. Free Angela [4:26]
14. Samba de Sausalito [4:02]

Santana - Lotus (CD 2)

01. Mantra [7:17]
02. Kyoto (Drum Solo) [9:57]
03. Castillos de Arena Part 2 (Sand Castle) [1:12]
04. Incident at Neshabur [15:56]
05. Se a Cabo [5:38]
06. Samba Pa Ti [8:55]
07. Mr. Udo [3:06]
08. Toussaint L'Overture [7:40]


Enjoy!!!!!!!!!!!!!

9 de mai de 2011

The 25th Anniversary Rock Roll Hall Of Fame Concerts

Zapeando pela tv dias desses me deparo com um show que chamava bastante a atenção inclusive pela estrutura e tal, e claro logo em seguida as informações foram chegando e me dei conta de estar vendo ao vivo um dos maiores shows de todos os tempos e que seria dificil outra oportunidade como essa em terras brazucas.

O canal era pago e não se repetiria o que estava fazendo como de praxe.
Passei mais de 3 hs deliciosas viajando em encontros e reencontros como o de Simon e Garfunkel que há muito não se apresentavam juntos e deram uma verdadeira aula de música; além do delicioso ouvir Crosby, Stills and Nash e sempre a alegria contagiante de Stephen Stills tornando tudo ainda mais gostoso(faltou sim o Neil Young mas aí é outra história).

De imediato comecei a procura pelo show e na época me lembro só ter encontrado um arquivo de 9 gbs e minha net que já não é lá essas coisas nunca que desceria aquele monstro,rs

Continuando encontrei pra baixar em 48 partes em formato de dvd e me arrisquei com um gerenciador de downs que to acostumado e na segunda tentativa deu certo.
Baixando os 03 discos na íntegra pensei em postá-los.....outro problema, comprimir, converter, subir etc e tal e aí foi ficando pra lá esta idéia (veja só qto tempo mas não esquecido) até que trocando umas idéias com meu gêniozinho de plantão, o maninho Poucosiso, ele se aventurou a ver no que daria mas sem garantias afinal não era uma empreita fácil e sei bem disso.

Bem, como sempre seu talento incontestável e a conversão, a compressão e a ripagem ficaram perfeitas quase como originais e com isso outros como eu sem grana ou sem uma net descente poderão ter acesso à um puta de um show que vale cada momento de suas 04 hs, e aproveitem prq apesar de estarmos em paz já há algum tempo, vcs conhecem links como estes, não tem por aí, só em torrents e os que tem duram pouco.

Mais uma vez, agradecimentos ao querido Poucosiso que nos socorre e nos presenteia assim.

Obs: Tudo é maravilhoso, mas o encontro de Bruce e Tom Morello é memorável e não me canso de assistí-lo no youtube, a velha e a nova geração num show de talento e energia, valem o show todo pra mim.Editorial Reviews

Review
'The big mother of all rock concerts...
the all-star jam of a fan's dreams...
spectacular.' --Philadelphia Inquirer

'5 STARS. Jaw-dropping.' --Rolling Stone

Product Description
-The complete HBO special, hosted by Tom Hanks.
-51 complete performances.
-Plus 16 bonus performances.
-Over 5 hours of rock 'n' roll history.
-Includes collector's issue of Rolling Stone magazine with behind-the-scenes stories of the concerts.
-Three time Emmy-winner.

"On October 29th and 30th, 2009, rock 'n' roll royalty held court at Madison Square Garden for what have been called 'the best concerts ever,' and 'where rock 'n' roll history was made.'
The concerts featured a who's who of rock 'n' roll from the '50s to the '90s and included artists performing together in unprecedented combinations that will most likely never be witnessed again.

'The 25th Anniversary Rock and Roll Hall of Fame Anniversary Concerts' included sets by Crosby, Stills & Nash; Stevie Wonder; Paul Simon; Simon & Garfunkel; Aretha Franklin; Metallica; U2; Jeff Beck and Bruce Springsteen & the E-Street Band.

Joining this iconic line up on stage were special guests including: Jerry Lee Lewis, Bonnie Raitt, Jackson Browne, Smokey Robinson, B.B. King, Annie Lennox, Lou Reed, John Fogerty, Mick Jagger, Fergie and others.

A 4-hour special of the concerts aired on HBO to high ratings, and was seen by tens of millions.
Now this historic event is available on DVD.

Highlights include:

-Mick Jagger and Fergie in a blistering version of the Stones' classic 'Gimme Shelter,' with U2 as the backing band.
-Bruce Springsteen and Billy Joel on-stage for a rollicking rendition of 'Born to Run.'
-Sting joins Jeff Beck for the Curtis Mayfeld classic 'People Get Ready.'
-Paul Simon, David Crosby and Graham Nash join together for a spine-tingling 'Here Comes the Sun.'
-Ozzy Osbourne sings with Metallica on the Black Sabbath classics 'Iron Man' and 'Paranoid.'
-John Fogerty & Bruce Springsteen share vocals on Roy Orbison's 'Oh, Pretty Woman.'"I still have The 25th Anniversary Rock & Roll Hall Of Fame Concert on my DVR from when it originally aired on HBO at the end of 2009, and I still often find myself viewing many of the standout performances pretty regularly to this day.
I have vowed not to erase it until it is released on Blu Ray and DVD, and finally owning this will be a welcome treat!

If you're wondering where the Blu Ray version is of the 25th Anniversary Rock and Roll Hall of Fame Concerts and you're reading this prior to November 2, 2010, the DVD is available at Amazon on September 28th, 2010, and the Blu Ray version of the package is available only at Best Buy for the first 30 days. Man, I hate that.
But I've waited now for a year for this release, so waiting an extra 30 days is no sweat I guess.
Anyway....

If you were at The 25th Anniversary Rock and Roll Hall of Fame Concerts or you saw it when it aired on HBO you already know how awesome these performances were that occurred over the course of two nights in late October 2009.
If you haven't seen this and you like music, even just a little, you're in for a great experience. This collection is worth its weight in gold.

The great news is that the DVD and Blu Ray releases include a ton of bonus stuff that wasn't aired on HBO, so it'll be great fun again for me to give this entire release a fresh look.

According to Time Life, following is what's going to be on the release, and I've marked the standout performances with this mark: ***** Rest assured that almost every performance stands out; it's all a matter of musical preference.
I like all kinds of music with a preference for hard rock, but some of these performances truly converted me into a fan of acts that I never liked or really paid little attention to prior to seeing this:Introduction:
TOM HANKS

JERRY LEE LEWIS
Great Balls of Fire

CROSBY, STILLS & NASH
Woodstock*****
Almost Cut My Hair
Love Has No Pride with Bonnie Raitt
The Pretender with Jackson Browne
Love the One You're With with James Taylor

STEVIE WONDER
For Once in My Life
The Tracks of My Tears with Smokey Robinson
The Way You Make Me Feel with John Legend (watch how Stevie chokes up singing this tribute to Michael Jackson...quite touching)
The Thrill Is Gone with B.B. King
Higher Ground/Roxanne with Sting*****
Superstition with Jeff Beck*****

PAUL SIMON
Me and Julio Down by the Schoolyard (not included on the HBO airing)
You Can Call Me Al
Here Comes the Sun with David Crosby and Graham Nash
The Wanderer with Dion DiMucci
Little Anthony and the Imperials:
Two People in the World

SIMON & GARFUNKEL
The Sounds of Silence
The Boxer*****
Bridge over Troubled Water


ARETHA FRANKLIN
Baby I Love You
Don't Play That Song
Chain of Fools with Annie LennoxMETALLICA
For Whom the Bell Tolls
Sweet Jane with Lou Reed
Iron Man/Paranoid with Ozzy Osbourne
All Day and All of the Night with Ray Davies
Enter Sandman

U2
Vertigo
Magnificent
Because the Night with Bruce Springsteen, Patti Smith and Roy Bittan
I Still Haven't Found What I'm Looking For with Bruce Springsteen
Gimme Shelter with Mick Jagger and Fergie***** This performance just blew me away; I've watched this over and over again!
Stuck in a Moment You Can't Get Out Of with Mick Jagger
Beautiful Day

JEFF BECK
People Get Ready with Sting
Let Me Love You Baby with Buddy Guy
Foxy Lady with Billy Gibbons*****
A Day in the Life*****This number is also part of Beck's Live at Ronnie Scott's DVD which I also highly recommend, but the performance of it here at the R&R 25th is greatly enhanced by large images of The Beatles behind the band.

BRUCE SPRINGSTEEN & THE E STREET BAND (Gotta admit that I was not the biggest Bruce fan prior to seeing him here; his performances with Sam Moore, and then of all people, Tom Morello absolutely knocked it out of the park.)
Hold On I'm Comin' with Sam Moore*****
Soul Man with Sam Moore*****
The Ghost of Tom Joad with Tom Morello***** Okay, this is THE most memorable performance of the entire concert for me; Tom Morello of Rage Against the Machine plays a guitar solo in this song unlike any rock solo I've ever seen!
Fortunate Son with John Fogerty
Pretty Woman with John Fogerty
Jungleland*****
A Fine Fine Boy with Darlene Love
New York State of Mind with Billy Joel
Born to Run with Billy Joel
Your Love Keeps Lifting Me Higher with Darlene Love, John Fogerty, Sam Moore, Billy Joel and Tom MorelloBONUS MATERIAL

CROSBY, STILLS & NASH
Mexico with James Taylor
Teach Your Children with Bonnie Raitt, Jackson Browne and James Taylor

STEVIE WONDER
Uptight
I Was Made to Love Her
Signed, Sealed, Delivered I'm Yours
Mercy Mercy Me with John Legend

SIMON & GARFUNKEL
Mrs. Robinson/Not Fade Away

METALLICA
Turn the Page
Iron Man/Paranoid with Ozzy Osbourne (the HBO version was edited; this apparently is not)

U2
Mysterious Ways
Where Is the Love/One with the Black Eyed Peas

JEFF BECK
Freeway Jam
Big Block

BRUCE SPRINGSTEEN & THE E STREET BAND
London Calling with Tom Morello
Your Love Keeps Lifting Me Higher with Darlene Love, John Fogerty, Sam Moore, Billy Joel and Tom Morello (the HBO version was edited; this apparently is not)I don't know how the Rock & Roll Hall of Fame Concert organizers could ever top this. All of these artists join together and play like they've been playing together forever to give viewers one of the most memorable shows in recent rock history.


Enjoy parts
01 (disc 01)

02 (disc 01)

03 (disc 02)

04 (disc 02)!!!!!!!!!!!!!

6 de mai de 2011

Snegs o "Som Nosso De Cada Dia" e a minha história...

Creio que tudo que tinha pra ser falado sobre ser este um dos melhores trabalhos já criados em terras brazucas e reverenciado até hoje já foi dito tanto que o maninho Pirata do Rock postou toda a discografia.

Coloco abaixo um pouco da ficha técnica e um bom release sobre e etc e tal, mas queria dividir com os amantes da música e frequentadores desta alcatéia uma história que posso dizer que ninguém viu, tem ou viveu.

Porque?
Porque era noite dos famosos anos 70 e uma molecada andava de skate e jogava bola numa rua do bairro da Previdência em sampa, e essa rua era o ponto de encontro dessa galera (Rua Luis Alberto Martins).

De repente chega uma caminhonete com mudança em cima e descem, um cara cabeludo, uma garota bonita e de bata hippie e mais um pessoal que agora a memória confunde.
Como todo moleque fomos chegando pra ver quem era e o que tava rolando e acabamos ajudando a descer algumas coisas que vieram no carro e arrumar dentro da casa vizinha da que ficávamos de um amigo e que o pai havia alugado pra aqueles "tipos".

Mas tipos nessa época éramos nós e eram eles afinal começo dos 70, cabelos compridos ou black power, roupas estranhas, algumas calças bocas de sino, outras com boca fechada e descalços pra se andar de skate (sim, o skate nasceu na rua Queirós Guimarães no Morumbi que termina na Av Fco Morato e onde moravam Juca Chaves e Ronnie Von e não como alguns livros e entrevistas dizem que foi no sumaré ou em outras bandas, prq fomos nós que começamos com essa onda no estado e tem provas até no estadão e outros lugares da policia perseguindo a garotada muito antes desses aí que dizem lançaram moda e até livros além de entrevistas na maior cara de pau,rs mas isso é outra história) ou de bermudão e chinelo ah, tanto fazia o que se vestia,rs

Bem, esse pessoal chegou e logo nos tornamos amigos e passávamos os dias juntos por ali, eles fazendo um som no porão da casa que virou estúdio e a gente em volta ajudando a atrapalhar até que chegou aquele que me levou definitivamente ao mundo da música.Do nada surge um cara conhecido e famoso, mas que estava recomeçando uma nova fase em sua vida e egresso dos "Incríveis" Manito, aparece como um ser mítico e se junta ao cabeludo Pedrão e ao negro Pedrinho e começam a criar o que se tornou um dos discos mais reverenciados de todos os tempos e graças ao bom humor do Pedrão (nem sempre heim? rs) que não ligava deu invadir lá sempre e o carinho do Manito pude participar de muita coisa e até dos testes de microfone naquele pequeno porão onde nascia o Som Nosso de Cada Dia.

Até onde lembro Cynara sempre gentil tinha o garoto Kauê e depois teve uma menina que me foge o nome, mas era algo relacionada ao sol ou algo assim, loirinhos como ela e bonitos tb, além de serem nossos queridinhos alí; claro que não de todos prq uma vizinhança já queria que aqueles bicho grilos sumissem e a paz voltasse a reinar no local, mas que nada, foi uma passagem meteórica prq me lembro até o dia que chegou o convite pra abrir o show da Tia Alice e o Manito pirou, workaholic como só ele e começou a tocar tudo ao mesmo tempo e em tempo integral enquanto Pedrinho machucava as mãos ao ponto até de sangrar mas com uma alegria que só ele possuía e o Pedrão sempre na dele ficava olhando e cuidando eu acho pra que aquilo rolasse, eram dois gênios Pedrinho e Manito, e alguém teria que ter os pés no chão mas quem controlava a criatividade e a velocidade de um Manito?.

Bom, é isso, uma pequena resenha de uma época maravilhosa que nunca mais volta só que como já postei em outro blog outra época essa história eu vivi, prq morava lá, vi-os chegar e sei de mais detalhes que acredito pessoais e que não acrescentariam muito e só serviria pra provar nada, mas prq eu ficava quase que o tempo todos com eles e principalmente com o Manito qdo ele sentava ao teclado e o Pedrinho ao seu lado, e alí fui tomando contato com os acordes de um dos maiores gênios da música brasileira que tentou me ensinar alguma coisa, que óbvio não foi o suficiente pra fazer decolar uma das 03 bandas que participei mas foi o suficiente pra me levar pra bem perto de bandas como o Terço, Terreno Baldio, Casa das Máquinas e o maluco do Cornélius e o Made in Brazil.

Meu amor pela música era bem anterior a eles, desde o primeiro radio de válvulas, e depois aquelas eletrolas pilips (rs) que ligavam puxando o braço, além de gravar tudo que ouvia com um hitachi mono lindo de acabamento de cerejeira.

Mas com o Manito, Pedrinho e Pedrão aprendi como nasce uma banda, e o que é fazer o que eles fizeram, e posso afirmar que magia é pouco pra o que acontecia alí, era muito mais; eram gênios, eram músicos e amigos que se respeitavam e respeitavam os moleques vizinhos e os deixavam ficar por ali sem frescura ou sem estrelismo, fora que a Cynara ainda fazia uns sucos pra galera que eram deliciosos,rs

Sempre em busca da essência meu amigo e irmão Manito, ídolo e gênio, mestre da mpb e infelizmente não reconhecido como outro gênio que convivi que foi o Raul, que fica pra uma próxima a história de nossa relação; brg Pirata pela lembrança e pelo que me proporcionou com este post seu e por isso deixo com seu próprio link."Tendo lançado um dos maiores clássicos do Rock setentista nacional – o LP “Snegs” (1974) – a banda foi fundada em São Paulo, no ano de 1971, pelos seguintes músicos:

Manito: espanhol de nascimento, é um legítimo multi-instrumentista (piano, órgão, moog, flauta, sax e violino) e já famoso pelo seu importante papel com o grupo “Os Incríveis. No decorrer da sua carreira tocou com muitos nomes de peso, tais como Os Mutantes, Rita Lee e Camisa de Vênus na área do Rock e Roberto Carlos e Zé Ramalho na área da MPB

Pedro Baldanza: mais conhecido como PEDRÃO, o baixista e vocalista gaúcho já havia sido membro das históricas bandas “Novos Baianos” e “Perfume Azul do Sol”, além de ter convivido e atuado com Walter Franco e Cassiano. Após o fim da banda em 1977, trabalhou com importantes nomes da MPB, tais como Ney Matogrosso, Elis Regina, Gal Costa e Sá & Guarabira

Pedrinho Batera: Um dos mais brilhantes bateristas do Rock Nacional, trabalhou também com Luiz Melodia e Belchior, além de diversos grupos de Jazz. Infelizmente, faleceu precocemente em meados dos anos 90.A Obra-Prima

Apesar de sua curta discografia (apenas 2 LPs e um compacto, ambos de estúdio nos anos 70 e, posteriormente, um CD ao vivo em 1994 e um CD duplo também ao vivo com registros inéditos dos anos 70), os músicos acima podem se orgulhar de terem lançado um dos mais brilhantes, criativos e empolgantes discos de Rock da América do Sul.Som Nosso de Cada Dia – Snegs

Todas as músicas do álbum SNEGS são excelentes, mas “Sinal da Paranóia”, “Bicho do Mato”, “Massavilha” e “Dirección de Aquarius” merecem ser citadas com maior destaque.

Considerado por muitos como o mais fantástico disco de Rock Progressivo nacional, é um item absolutamente obrigatório na coleção de qualquer fã do gênero.

Gravado e mixado em 1973 em apenas 7 dias e com grande precariedade de equipamentos de estúdio, é uma das maios perfeitas demonstrações de que o realmente importa na gravação de um disco é o TALENTO.

Outra grande façanha do Som Nosso de Cada Dia foi a realização dos 5 shows de abertura da turnê de Alice Cooper no Brasil em julho de 1974.

Com Alice no auge de sua carreira, o público presente foi sempre excelente (um total superior a 130.000 pessoas), o nosso representante brazuca obteve incrível sucesso, tendo suas apresentações mais queridas e lembradas até mesmo que o próprio astro principal.A Vida Após “Snegs” e “Alice Cooper”

Por diversas razões, mesmo com o sucesso anterior, várias mudanças de formação ocorreram (Manito saiu e vários outros foram entrando e saindo) e somente três anos depois lançaram novo disco. Infleizmente, a época já era outra e o movimento “Disco Music” assolava o mundo.

Foram então obrigados a gravar músicas que se adequassem a nova realidade. Mesmo assim, tiveram uma grande idéia, que possibilitou a inclusão de músicas do estilo Progressivo sem afetar a qualidade do álbum e sem incomodar aos fãs de estilos tão diversos.

Era lançado então o álbum “Som Nosso”, onde o Lado 1 recebeu o nome de “Sábado” e o Lado 2 de “Domingo”.
O “Sábado” com sonoridade Funk, apropriada para “Os Embalos de Sábado a Noite” e o “Domingo” com músicas belamente Progressivas, perfeitas para o relaxamento e sossego de um “domingão”."

Fonte: http://musicasuigeneris.wordpress.com/2009/01/24/som-nosso-de-cada-dia/ Integrantes:
Pedrão (Pedro Baldanza) – voz/baixo e violões
Manito – órgão/sintetizadores/piano/violino/flauta/saxofone e vocais
Pedrinho – bateria e vocais

Músicos convidados:
Marcinha,
Cynara,
Ivone e
Tigressa – vocaisFaixas:
01 Sinal da paranóia
(Cimara, Pedrão)

02 Bicho do mato
(Gastão Lamounier Neto)

03 O som nosso de cada dia
(Paulinho, Pedrão)

04 Snegs de Biufrais
(Paulinho, Pedrão)

05 Massavilha
(Paulinho, Pedrão)

06 Direccion de Aquarius
(Paulinho, Pedrão)

07 A outra face
(Pedrão, Pedrinho)
Som Nosso de Cada Dia, Enjoy!!!!!!!!!!!!!