25 de jan de 2014

Eric Clapton & Santana


Um excelente registro do encontro de dois deuses da guitarra.

Eric Clapton on Carlos Santana - The Calling
Tokyo, Japan - April 28, 2000 - EC Compilations - Aud 4
Track List:
Batuka
No One to Depend On
Taboo
The Calling
Apache - Smooth
Soul Sacrifice
Jingo
Little Wing (San Diego, Ca. - August 16, 1975)
Why Does Love Got to Be So Sad? (Los Angeles, Ca. - August 14, 1975







21 de jan de 2014

Focus - Dutch Prog Rock


O Focus é uma banda de rock progressivo holandesa fundada em 1969 pelo organista e flautista Thijs van Leer, considerada uma das grandes bandas nesse estilo musical. Suas extensas e quase exclusivas composições instrumentais e improvisações continham várias referências à música erudita. Um exemplo é a referência a ópera de Monteverdi na canção "Eruption", do álbum Moving Waves. Outra demonstração está na referência à Johann Sebastian Bach em "Carnival Fugue", do álbum Focus 3, ou ainda das referências ao Renascimento de "Anonymus II", do mesmo álbum.


O Focus surgiu em 1969 pelo organista e flautista Thijs van Leer, pelo baixista Martin Dresden e pelo baterista Hans Cleuver. A ideia inicial era seguir o estilo de Traffic, o que não aconteceu por percalços com a versão holandesa de Hair. Após a temporada do musical o grupo pode produzir seu primeiro álbum, em 1970, já com a presença de Jan Akkerman na guitarra. Descontente com a falta de sucesso do primeiro álbum, Jan Akkerman deixou a banda para formar outra banda com o baterista Pierre Van der Linden e o baixista Cyril Havermans. Quando soube das notícias sobre a nova banda, Thijs os contactou e eles o convidaram para participar da banda, assumindo somente então o nome Focus. O quarteto gravou o álbum Moving Waves, primeiro álbum de impacto da banda, recebendo críticas positivas em âmbito internacional. O álbum incluía a obra símbolo da banda, "Hocus Pocus". Este clássico do rock consistia na repetição de um riff de guitarra recorrente e interlúdios de vocal falsete.


No final de 1970, conheceram o produtor Mike Vernon, que ajudou a promover a banda pelo mundo. A expansão começou na Inglaterra em 1972, mesmo ano do álbum Focus 3, um disco duplo que continha o hit "Sylvia". Nesse álbum Bert Ruiter tomou o lugar de Cyril Havermans. Em maio de 1973 a banda fez uma grande apresentação no Rainbow Theatre em Londres, o que resultou no álbum Live at the Rainbow.
Logo após, Pierre Van der Linden deixou a banda após desentendimento com Ruiter sobre a direção da banda. Collin Allen o substituiu, e então a banda gravou Hamburger Concerto, um retorno ao estilo erudito. Gravaram posteriormente Mother Focus, um álbum mais comercial. Durante as gravações do álbum Allen deixou a banda, sendo substituído pelo estaduniense Devid Kemper. Em 1976, após a finalização do álbum, Jan Akkerman também deixou a banda pelas diferenças musicais entre ele e Thijs, iniciando o fim gradual da banda até o anúncio do fim em 1978. Ainda em 1977 a banda retornou com o vocalista P. J. Proby se integrando à banda, que nessa época contava com Thijs Van Leer, Bert Ruiter, o guitarrista Eef Albers, o também guitarrista Phillip Catherine e o baterista Steve Smith.



Seguem meus álbuns preferidos:














17 de jan de 2014

Atlantic Blues Piano


Atlantic Blues foi uma série lançada no Brasil em 1986 em comemoração aos 50 anos da Atlantic Records. Atlantic Blues era uma série de 4 álbuns duplos, com o que havia de mais influente no blues do pós-guerra, apesar da Atlantic não ser uma gravadora de Chicago como a Chess Records. Dividido de forma estilística (Piano, Vocal, Guitarra e Chicago), suas capas internas (em português, uma raridade) tinham mais informações sobre o estilo do que havia disponível na imprensa musical brasileira em 10 anos.
É uma aula em cada faixa, dividida em 4 "módulos" de fino trato.
(*Texto escrito por Nei Bahia do blog Clash City Rockers)

Tracks:
1. Yancey Special - Jimmy Yancey
2. Talkin' Boogie - Little Brother Montgomery
3. Mournful Blues - Jimmy Yancey
4. Salute To Pinetop - Jimmy Yancey
5. Shave 'Em Dry - Jimmy Yancey
6. Frankie & Johnny - Jack Dupree
7. T.B. Blues - Jack Dupree
8. Strollin' - Jack Dupree
9. Tipitina - Professor Longhair
10. Blue Sender - Vann 'Piano Man' Walls
11. After Midnight - Vann 'Piano Man' Walls
12. Roll 'Em Pete - Joe Turner
13. Fore Day Rider - Jay McShann
14. My Chile - Jay McShann
15. Cow Cow Blues - Meade Lux Lewis
16. Albert's Blues - Meade Lux Lewis
17. Honky Tonk Train Blues - Meade Lux Lewis
18. Low Society - Ray Charles
19. Hey Bartender - Floyd Dixon
20. Floyd's Blues - Floyd Dixon
21. After Hours Blues - Texas Johnny Brown
22. Junco Partner - Doctor John
23. I Don't Know - Willie Mabon



13 de jan de 2014

Jumbo - Prog Rock Italiano


A Itália e suas maravilhosas bandas de Rock Progressivo! O que aconteceu no país da Bota para ser tão rico, tão abundante em bandas progressivas, principalmente na querida década de 70. Encontrei esta banda há uns cinco anos e gostei muito. Trata-se de mais um Prog Italiano, um pouco mais Folk que o anterior (Atlantide), mas também de primeira qualidade. Segundo alguns blogs, o som pode ser classificado como um blues progressivo em estilo italiano muito não-tradicional. Mais informações da banda neste LINK.

Um som que vale a pena dar uma conferida.

Palhinha:





Jumbo - DNA (1972)




9 de jan de 2014

Atlantide - Prog Rock Italiano


Um som progressivo, meio hard rock. Um disco raro. E uma banda rara também, pois são quatro irmãos de uma pequena cidade italiana da região de Basilicata, chamada Cirigliano, com uma população de 450 habitantes. Os quatro irmãos lançaram esta álbum na Alemanha (Rottweil), porém não alcançou grande sucesso. O som lembra um Deep Purple, pesado mas com teclados suaves, muito bem tocados.



Atlantide - Francesco Ti Ricordi 1976

Faixas:
Todas as faixas escritas por Domenico Sanseverino / Francesco Fortuna. 
01. L'uomo ed il cane - 05:02 
02. Sporcandosi di sangue - 04:58 
03. QUANDO la luna - 11:00 
04. Se perdesse la vita così - 05:32 
05. Il pagliaccio - 06:44 
06. Francesco Ti Ricordi - sete sete 

The Band:
- Mimmo (Domenico) Sanseverino - guitarra, vocal 
- Leonardo Sanseverino - Organ, Synthesizer 
- Mario Sanseverino - Baixo 
- Matteo Sanseverino - bateria

Palhinha:




5 de jan de 2014

Para iniciar o ano em alto estilo.............

Da minha parte ia começar o ano com outro monstro sagrado e apesar de respeitar demais o Herbie ( o que não altera em nada a vida dele) o que estava pronto é pra mim simply The Best.

Mas qdo ouvi essa versão com ídolos meus que brotaram no cenário musical não resisti, o vídeo demonstra como foi feito o disco e como tudo gira em volta de um astro como Herbie Hancock.

Jonny Lang cada vez que o ouço sinto que ainda será imbatível, muito diferente do Bonamassa ( ô sujeitinho intragável, basta comparar só com um Craig Ericksson pra ver) que tantos endeusam e postam a rodo; que se tornou um puta de um chato e esnobe que a maioria dos grandes músicos preferem distancia.

Alias o projeto com o Hughes e cia não foi pra frente prq ele achava que aparecia pouco e era tão importante qto o Glenn Hughes!!!!!!!!!

Joss Stone é uma gracinha mas não deixa de ser uma diva soul sim, adoro essa frase racista e discriminatória adoro: "Uma branca de alma negra"!!!!!!!!!!!!!!!

Alguém já viu a cor da alma de alguém?
Mas pela cor da pele dizem do negro que é bom; " Um preto de alma branca" (não errei antes era preto, aí com tantas brigas, passaram a usar preto pra tinta e negro pra cor da pele) e não me venham com conversa de branco representar pureza prq não é porra nenhuma disso; sempre foi racismo puro e que só os brancos teriam almas boas; ah então tá......

Mas ela apesar de sempre que posto aqui ser devidamente retirada, continuo me arriscando prq ela é sim uma legitima herdeira de Ella, Koko, Etta and everybody.

Deixa dar um alerta aos amigos postadores, o mega começou com as palhaçadas de sempre e começou a mandar avisos que vc infringiu a lei e seu link foi removido e se continuar assim sua conta será deletada.
O 4shared idem, me avisou que mais um (já tenho um monte mas eles contam dois, então se completar o 3º minha conta será banida de lá, mesmo que os downs não parem, ou seja eu mesmo que recomendei o mega e apostava que voltaria melhor voltou com o rabinho bem no meio das pernas, apesar que uma infinidade de programas crackeados, filmes e etc continuarem  lá basta ir ao mega search que vc acha qqr coisa de pornô a pedofilia passando pelos cracks e etc..

Mas aleatoriamente começaram a caça as bruxas de novo e mesmo que o Iron Maiden afirme que com os blogs os downloads aumentaram em x % suas vendagens e shows pelo mundo nada impede a sanha gananciosa das gravadoras.

Somos mesmo os últimos dos moicanos, o exército de brancaleone, D Quixote de La Mancha e etc como diria meu irmão Carlos "The Ancient" ou no meu caso um "lobo estepario" como diria Aponcho; ainda respiramos por aparelhos então que "seja posto enquanto que é chama e seja eterno enquanto dure" como diria o poetinha (monstro, monstro,monstro) Vinicius de Moraes.

Review by Thom Jurek

Possibilities is a Herbie Hancock adventure record.

This ten-cut smorgasbord features the ever restless pianist, composer, and arranger in the company of literally dozens of artists, from pop singers like Christina Aguilera, Sting, and Annie Lennox to rock legends such as Santana and Paul Simon to relative newcomers like John Mayer, Jonny Lang, and Joss Stone, as well as some renowned international performers, such as Angélique Kidjo and Raul Midón in a wide range of songs, styles, and moods. Hancock cut the record in studios all over the world, all the collaborations were done face to face, not long distance.

Session musicians here include everyone from Stevie Wonder (who plays the harmonica solo on the cover of his tune "I Just Called to Say I Love You"), to Santana to Cyro Baptista, Willie Weeks, John Pattitucci, Steven Jordan, and Gina Gershon (the actress)! The standout cuts are the sensual read of Leon Russell's "A Song for You," sung by Aguilera, Simon's jazzed-up revisioning of his "I Do It for Your Love," and Lennox's read of "Hush, Hush, Hush," written by Paula Cole (whatever happened to her?).

Jazz fans may be disappointed, but pop fans will be delighted; there is a lot here to like.


Possibilities is the forty-fifth studio album by American jazz musician Herbie Hancock, released in the United States on August 30, 2005 by Vector Recordings. 

The album features a variety of guest musicians such as John Mayer and Carlos Santana. 

It earned Hancock two nominations at the 2006 Grammy Awards: Best Pop Collaboration with Vocals for "A Song for You" (shared with pop singer Christina Aguilera) and Best Pop Instrumental Performance for "Gelo na Montanha" (shared with rock singer-guitarist Trey Anastasio). 

A motion picture entitled Herbie Hancock: Possibilities, released on DVD on April 18, 2006, depicts the recording of this album in many different discussions and performances with the collaborating artists. 

The DVD also includes a demo CD with 4 of the 10 songs on the album.


Track listing

"Stitched Up" (featuring John Mayer) (Herbie Hancock, John Mayer) – 5:27
"Safiatou" (featuring Santana and Angélique Kidjo) (Harold Alexander) – 5:25
"A Song for You" (featuring Christina Aguilera) (Leon Russell) – 7:05
"I Do It for Your Love" (featuring Paul Simon) (Paul Simon) – 5:58
"Hush, Hush, Hush" (featuring Annie Lennox) (Paula Cole) – 4:46
"Sister Moon" (featuring Sting) (Sting) – 6:54
"When Love Comes to Town" (featuring Jonny Lang and Joss Stone) (Adam Clayton, David Evans, Larry Mullen, Jr., Paul Hewson) – 8:41
"Don't Explain" (featuring Damien Rice and Lisa Hannigan) (Arthur Herzog Jr., Billie Holiday) – 4:53
"I Just Called to Say I Love You" (featuring Raul Midón) (Stevie Wonder) – 5:27
"Gelo na Montanha" 1 (featuring Trey Anastasio) (Cyro Baptista, Herbie Hancock, Trey Anastasio) – 3:48