Mostrando postagens com marcador Black Sabbath. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Black Sabbath. Mostrar todas as postagens

13 de jul de 2010

Black Sabbath - Eternal Idol ou Eternal Idol????

Bem, como tudo que se relaciona ao Black Sabbath é sempre envolto numa aura de mistério, esta parte de sua história não poderia ser diferente.
Muito aliás, se fala dessa época, mas na verdade poucos sabem o que realmente aconteceu; não querendo aqui dizer que sou detentor da verdade única, mas que através de amigos que estiveram muito próximo aos fatos vou relatar o que eles me contaram.

Tentarei ser breve: Sai Ozzy, entra Dio, sai Dio entra Gillan, sai Gillan entra Glenn Hughes e sai Hughes.....aqui começa o nó!
Qdo Glenn Hughes devido a problemas sérios com drogas e bebidas (dizem que era garganta, tá!!!) grava o Seventh Star e ainda dele numa apresentação fechada meio que ensaio sobra uma edição original de apenas 500 cópias do Eight Star ( que aliás abre com um som do Tull, a música "Cry to a Song" que aqui ganhou o nome de "Shakin'my wings", talvez saudades de Tony da sua passagem meteórica pelo Tull, rs, e por acaso tenho uma delas); devido a amizade e bom relacionamento com Tony Iommi ele (Glenn heim?, atenção à este fato!!!!!) diz ao parceiro que precisava dar uma parada senão "ia pras picas".

Mas para não deixar o projeto Iommi/Sabbath parar indicava pra Tony um garoto que ele, Glenn (The Voice of Rock"), considerava seu sucessor; um jovem promissor de nome Ray Gillen o qual participou e participava de uma banda chamada Badlands.

Confiando na dica e sem muito tempo pra pensar, Tony de imediato chama Ray e o convida pra uma sequência de shows e a montagem do próximo álbum; afinal segundo Glenn Hughes, Ray era um fã incondicional do Sabbath conhecendo tudo deles, o que tornaria muito mais fácil sua imersão no projeto.

"Atenção", não houve imposição nenhuma de gravadora; o que Tony Iommi nunca tolerou, e pra mandar um pra PQP não lhe custava nada; o que realmente ele queria era continuar seu projeto sabático, afinal estava "só" como único remanescente oficial da banda que nem mais levava o nome original.Ray Gillen caiu como uma luva naquele momento, um puta de um vocalista com uma baita presença de palco, jovem e bonito; o que mais precisaria pras coisas engrenarem de novo?

Bom.....no Sabbath as coisas nunca acontecem como previsto e depois de shows fantásticos e da gravação da master do álbum Eternal Idol; Ray Gillen "bate com as caxuletas"(rezam tanta lendas que fico com a mais provável: overdose!) e Tony fica sem saber o que fazer!!!!!!.

Nesta época (entre 85 e 87) foi-lhe apresentado um outro vocalista de nome Tony "The Cat" Martin ( o empresário dele era muito ligado a Tony e Glenn) e o improvável aconteceu: "Limaram" os vocais de Ray Gillen e trocaram por Tony Martin lançando assim o já enroscado Eternal Idol; que além disso, também teve dois baixistas "Dave Spitz e Bob Daisley"; "dois bateras Eric Singer e a volta aos pedais de Bev Bevan"; Geoff Nicholls nos teclados (olha ele aqui)e claro Tony Iommi.

Começaram gravando em Monserrat, Londres e terminaram suas gravações nos States; com isso também tendo a influência direta de pelo menos três produtores e mais uma infinidade de percalços.
Mas o que trago pra vocês é uma versão original da época da chamada "demo-tape" do álbum "Eternal Idol" com os vocais de Ray Gillen em apenas 06 faixas de estúdio e fora de sequência entre a 03ª e a 04ª e ainda + 08 versões ao vivo.Qual a diferença de algumas versões que rodam pela net com títulos de "definitivos", "colections" e outros quetais?

É que esta versão me chegou as mãos através de alguém que trabalhou no projeto e sei que realmente não é uma cópia de uma cópia de uma cópia; aliás esta iria para o lixo a bem da verdade e além do mais na época que tomei contato com o material, como comecei dizendo, tudo ainda estava envolto em sigilos e segredos de gravadoras e a banda.

Afinal estava dando tudo certo e na sequência descambou tudo de novo; o que se chegasse a público com certeza comprometeria o projeto, o lançamento do álbum e mergulharia mais ainda em descrédito a possibilidade de Tony Iommi ressuscitar o Black Sabbath e se tornaria mais vaga prq mais uma vez dava tudo errado pra dar certo.

Como disse, existem versões mil por aí da história e das gravações; mas baixe e ouça se quiser conferir como estava na época a pegada da banda e quais rumos poderia ter tomado.

A qualidade de áudio não foi alterada por ninguém que teve contato com o material, então vc vai perceber deficiências; só ripei do mesmo cd e melhorei um pouco a taxa de bits, mas preferi preservá-la assim e agora divido aqui com meus parceiros de viagem.Obs: A capa acima foi só retirada da net pra ilustração e os dados nas musicas foram colocados por mim, afinal veio sem nenhuma referência e nada registrado, a não ser os nºs das faixas.

Outra obs: Antes que surjam os ditos "sabe tudo", eu preservei o post da época com algumas atualizações de imagem e texto sem interferir na essência do original, mas como disse eu ganhei de um amigo que trabalhou muito próximo à tudo que acontecia e por isso o acesso à gravação que iria pro ralo e então é por isso que é meu e compartilho com quem quiser de graça algo que não deveria existir (tétrico, tá parecendo conto de terror).

Mais uma obs: Repito, as histórias são muitas e os mitos e lendas nascem desse vazio que acontece entre ouvir falar e estar lá na hora "H"; bem confio em quem me contou e sei o que ele fazia e onde estava à época, como qqr dia vou trazer um pouco da história do PFM, que vivi uma parte bem próxima, e aí sim posso justificar a fama de arrogante ou metido que alguns me dão, mas fazer o que se conheci de junto andar e não de ouvir falar? e se realmente tenho algum material considerado ùnico?rs.... Post original em 28/09/08

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!