Mostrando postagens com marcador Miles Davis. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Miles Davis. Mostrar todas as postagens

26 de abr de 2011

Chet Baker & Miles Davis - With The Lighthouse All Stars - 1953

Não é mistério pra nenhum seguidor desta alcatéia doidivana que este lobo que aqui dedilha é um apaixonado por Chet Baker, por tudo que ele significa por sua luta e por sua vida e intensa humanidade.

O considero sim, o melhor trompetista que já ouvi e o que mais consegue se chegar ao peito deste lobo muitas vezes machucado pelos reveses da vida e com isso curar muitas feridas como já o fez por várias vezes.

Chet Baker e sua intensidade humana tem o dom de transportar este tresloucado pra um mundo diferente de sons e cores que se alternam entre o bem e o mal mas nunca certo ou errado, sempre direita ou esquerda, sempre com uma meta mesmo que não seja o melhor caminho mas determinado e determinante o que o torna especial pra mim.

Nunca como brinco com o Aponcho, diria quem é melhor que quem, se Miles ou Chet, prq são seres distintos e de histórias distintas, provoco prq é meu jeito de brincar com os mais próximos e com aqueles que perdem tempo pra ler o que escrevo e com isso tento tornar nossas vidas mais leves.

Só que o Chet tem pra mim a magia que só ele conseguiu criar e como tenho toda sua discografia é sempre muito difícil dizer qual o melhor ou pior momento ou só postá-lo em detrimento de outros, mas depois de me embrenhar pelos sons do Slash me aprofundei nos acordes deste disco maravilhoso e que não ouvia já há algum tempo, e ouvindo enquanto posto como sempre faço, sinto de novo aquela aura que só ele conseguia e ainda consegue, mas claro que muito bem acompanhado como do piano em winter wonderland que é sublime e mais muito mais.

Não é datado, é de 53 sim, mas é música da melhor qualidade e me perdoem os que discordam, precisam perder um pouco mais de tempo pra conhecer melhor,rs

Mr Chet Baker and Miles Davis e os All Stars everybody,
.......quem pode se auto intitular assim heim?"Opiniões têm sido limitadas a cerca de jazz clássico e absoluto na história dos que fazem parte dela assim como é possível aprender o máximo a partir de um álbum cheio de bons eventos, de modo que no espírito de músico como Miles Davis, Chet Baker e do Farol All-Star de 1952 possa apresentar.

Este arquivo é uma pérola da lendária versão completa dessa sessão no famoso clube Farol em Hermosa Beachpara para os amantes que gosta de Cool jazz-hard bop literalmente na sua essência de criação.

Além de ser uma ponte que liga Miles Davis com os dois pilares da criação do jazz: Chet Baker e John Coltrane, traz Russ Freeman, um pianista de vanguarda na esfera do seu All Star Band.

Aqui se da ainda um encontro único de dois jovens trompetistas na linha de frente por Chet e Miles, no magistral duo dos criadores de estilos diferente ao longo de sua vida.

Tudo acontece no lendário Lighthouse café/clube localizado em Hermosa Beach - Califórnia, onde ainda hoje continua ativo.
Após a II Guerra Mundial quando o músico Howard Rumsey, cansado de tocar em big bands de fim de noites, resolveu passear pela cidade e foi dar de cara no Lighthouse, encontrando uma casa literalmente vazia.

Rumsey pediu ao dono do local uma oportunidade para tocar neste espaço.
O Lighthouse All-Star era a banda que tocava no Farol Club, um grupo em sua maioria de músicos brancos da costa oeste da Califórnia.
Max Roach apresentou neste tempo uma curta temporada de apresentações no local, que posteriormente trouxe o seu amigo Miles Davis para ingressar conjunto que logo chega Chet para completar.O resultado é o antologico album "With The Lighthouse All Stars" gravado em 13 de Setembro 1953 .

O album apresenta nove faixas de altissima qualidade entre os musicos de estrema inquietude.
At Last abre o album norteando um belo arranjo cool, sendo seguida por Winter Wonderland com clichês-chave. levando Miles a solar seu trompete que quase fala, Loaded, I'll Remember April, Pirouette, Witch Doctor, Infinity Promenade, 'Round Midnight', e A Night in Tunisia apresenta uma semelhança entre ambas, embora reconheço que Bud Haste tem um belo solo em Tunísia, mostrando aos outros como deve ser feito, constróindo declarações pautadas e claras sobre o saxofone em uma estrutura coesa que complementa a canção.

Chet Baker apresenta um trompete ascendente da Costa Oeste simpaticamente balançando o caminho que Miles completa.
De certa maneira, é um trabalho histórico e interessante para os amantes deste período de início da carreira do Miles, depois de ter quebrado seu vício no início dos anos 1950.

Realizada em 13 de setembro de 1953, e gravado pelo Selo que Contemporânea, quando Miles Davis estava na Califórnia. Genre: Jazz / cool, hard bop.

Texto retirado do blog "Borboletas de Jade"

Músicos:

Chet Baker - Trompete = português/ english = trumpet/ français = trompette/ italiano = tromba ou trombeta.
Miles Davis - Trompete
Rolf Ericson - Trompete
Jimmy Giuffre - Clarinete
Bud Shank - Sax Alto
Bob Cooper - Sax Tenor
Russ Freeman, Lorraine Geller & Claude Williamson - Piano
Max Roach - BateriaFaixas:

1. At Last
2. Winter Wonderland
3. Loaded
4. I'll Remember April
5. Pirouette
6. Witch Doctor
7. 'Round Midnight
8. Infinity Promenade
9. A Night in Tunisia

Enjoy!!!!!!!!!!!!