Mostrando postagens com marcador Triumvirat. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Triumvirat. Mostrar todas as postagens

18 de mai de 2011

Triumvirat "The Bonus Tracks 72/78"

Como muitos sou um fã inverterado do Triumvirat e podem dizer o que quiser deles "cópia do ELP", "sem conteúdo", "sem sal", ah sei lá pouco me importa, prq eu e o Ricardo somos parados neles e pronto.

Aí pipoca na minha toca um post da minha querida Luciana (não tão querida como antes prq nem me liga mais, mas ainda a tenho com muito respeito e carinho por sua empreita pelo seu rock progressivo que defende até brigando comigo,ré,ré,ré)e justamente uma compilação que nem sempre traz o que há de melhor mas sempre o querem tirar das gavetas empoeiradas das gravadoras pra se fazer um trocado.

Fuçador e curioso lá fui eu e claro que já conhecia as músicas mas a compilação ficou muito boa mesmo de se ouvir e fiquei bem feliz ao baixar, mas ao montar achei tb o post que o Gustavo (ih esse tb ficou bravo comigo sabem prq? Ele gosta do Phil Collins e eu vou lá e desço a lenha qdo ele posta Genesis, claro que é tipo prq já baixei o álbum, mas que torro eu torro,rs) havia feito e aí juntei as duas opiniões desses experts em prog e aí está, um belo disco pra quem gosta da banda alemã."Sem muito o que dizer sobre esse registro, trata-se de uma compilação com todas as faixas bônus relançadas pela EMI em 2002 quando remasterizou os álbuns desta que é uma das bandas mais influentes do mundo progressivo.

Aqui encontramos as faixas bônus dos discos: Mediterranean Tales (1972), Illusions On A Double Dimple (1973), Spartacus (1975), Old Loves Die Hard (1976), Pompeii (1977) e A La Carte (1978).

Aos colecionadores, outro belo presente!

Luciana Aum

"É tão difícil conseguir algum material a respeito do Triunvirat que quando vi este álbum, não pensei duas vezes em postá-lo aqui no blog, mas como de costume, sempre dando o crédito para a origem do material que encontrei no blog DREAM EXPRESS.

As músicas de "The bonus tracks (1972-78)" não são 100% inéditas, pois boa parte foi inserida como bônus e estão presentes nas remasterizações que os álbuns anteriores do Triunvirat passaram a alguns anos atrás quando foram relançados aqui no Brasil.

De qualquer forma, fica como mais um álbum para esta magnífica banda que tão bem representou o cenário progressivo internacional em uma época em que atuavam diversas bandas de renome internacional, consagradas mundialmente, o que não impediu ao Triumvirat deixar também seu nome gravado na história da música contemporânea, tornando-se um de seu expoentes."
GustavoTRACKS:

01. Be Home For Tea
02. Broken Mirror
03. Ride In The Night
04. Sing Me A Song
05. Dancer's Delight
06. Timothy
07. Dimplicity
08. Million Dollars
09. The Capital Of Power (live)
10. Showstopper
11. Take a Break Today
12. The Hymn (Edit)
13. Waterfall [Edit]
14. Jo Ann Walker [Edit]

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!

14 de jun de 2010

Triumvirat - Spartacus

Acho que nunca me esquecerei.....sei lá, era uma coisa ao mesmo tempo mágica e estranha, diferente e igual, coerente e confusa, uma viagem sem ácido mas completamente louca.

Que batida era aquela?
Uma batida marcial numa banda de rock progressivo e ainda por cima alemão? Tá certo que eu já havia tido contato com outras bandas de lá, mas eu não tinha ouvido nada parecido com aquilo....que voz deliciosa, que sonoridade ímpar, que porra de batida era aquela??????????

Ré,ré,ré, é isso eu impliquei com o estilo marcial dos caras mas ao mesmo tempo foi amor a primeira vista, foi impactante, florescente e cativante, era tudo que eu um baladeiro de primeira amava de paixão: "NUANCES"!!!!!!!
Sobe, desce, canta, toca, sussurra, brinca, toca, esmerilha, era simplesmente o oposto que ouvia dizer, que não passava de uma cópia barata do ELP.......ah pra pqp quem me veio com esses papos, eram muito diferentes e muito técnicos, sim sabiam tocar, sabiam compor e sabiam colocar cada nota em seu devido lugar, como o ELP mas cópia?

Estas duas capas quase iguais não são erro do lobo de novo não, a primeira (acima) foi lançada em 2000 pra comemorar os 25 anos do álbum, e as restantes são obviamente as capas do cd remaster do vinyl e ainda com alguns bonus que saíram na edição original e eu tive em minhas mãos, mas que devo ter trocado por um skate ou uma prancha sei lá, ai que idade idiota,rs

Mas aí está, já temos aqui o "Illusions" postado e agora posto o que acho sintetizar o auge da competição progressiva chegando ao Brasil, e as turmas brigando por seus ídolos e aparecem estes "nerds"???
Ah não que isso era uma afronta aos Yes, ElPs, Giants e etc, não não seria possível.......!!!!Foi e é um dos maiores álbuns de toda a história do mundo da música que ainda tem a petulãncia de encerrar Spartacus com uma pincelada de "Jesus Christ Superstar".

Simplesmente fantástico, 35 anos e qualquer um que ouça agora sente que eles não envelheceram, basta ouvir "Walls of Doom" (quem nunca ouviu prq estava em outro planeta rs) simplesmente continuam pelo menos pra mim, como antes, rodando no toca discos do meu quarto e aquilo ecoando pela vizinhança como um mantra divino.

O que não entendo é porque esses caras morriam de bobeira, fosse em drogas, bebidas, ou como no caso do Köllen que ainda estava ouvindo no toca fitas de seu carro fechado em sua garagem suas composições; pusta sacanagem, cantava e compunha, tocava e eu o considerava meu amigo caraca, ele frequentava minha vida todos os dias....

Obs: Muito bem corrigido pelo Ricardo o baixista desta foto é Hans Pape segundo o site oficial dos caras e não Köllen como circula pela net e aproveitei pra postar logo abaixo o primeiro que era Werner (Dick) Frangenberg, tb a esquerda é claro, e na foto mais abaixo aí sim, nosso herói(rs)Helmut Köllen.Creio com isso estar devidamente esclarecido quem é quem na formação original do trio.Spartacus may not be as progressively strong as 1973's Illusion on a Double Dimple album, but it still stands as this German outfit's second best release.

Based on the famous Roman gladiator who led the rebellion against his homeland, the music supports the album's concept quite solidly, with the better tracks coming in the form of the sporadic "School of Instant Pain" and the nine- minute "March to the Eternal City," which gathers a menacing conglomeration of bass guitar riffs and pointed keyboard work. The music becomes effectively motivational toward the concept at the proper times, enablingmore… the band's idea to remain fresh and colorful as the music is played out.

Jurgen Fritz's Hammond organ and Moog intervention gives Spartacus a genuine progressive air, culminating as it should on the final track.
Although Triumvirat's staunch, stern notes and articulate keyboard meandering can easily be compared to Emerson, Lake and Palmer's style, it's balanced quite impressively with Helmut Kollen's electric and acoustic guitar work.

This album has a slight edge over 1976's Old Loves Die Hard because the synthesizers are put to better use, while the overall sound and flow of Spartacus contains greater instrumental animation.
Spartacus is an album by the German group Triumvirat.

Spartacus is a concept album based on the Roman gladiator who led the 3rd slave uprising in 73–71 BC. The lyrics were written by Hans Bathelt, with contributions by Jürgen Fritz. It was originally released in 1975 on the EMI label, and later distributed in the U.S. by Capitol. It debuted at number 27[1] on the Billboard album charts.

After this album, Helmut Köllen left the band to start a solo career. Two years later, he died of carbon monoxide poisoning when he was in his car, in the garage, listening to his own compositions on the car's cassette player.

The album was digitally re-mastered and released in CD form in 2002 by EMI. The re-mastered version included two additional tracks: a live version of "The Capital of Power" and a previously unreleased song called "Showstopper".
Members:
Jürgen Fritz: piano, synthesizers

Helmut Köllen: bass, acoustic guitars, vocals

Hans Bathelt: drums and percussionTracklisting:

The Capitol Of Power (Jürgen Fritz) 3:13

The School Of Instant Pain 6:23
including:
Proclamation (Jürgen Fritz / Hans Bathelt)
The Gladiator's Song (Jürgen Fritz / Hans Bathelt)
Roman Entertainment (Jürgen Fritz / Hans Bathelt)

The Battle (Jürgen Fritz)
The Walls Of Doom (Jürgen Fritz) 3:57
The Deadly Dream Of Freedom (Helmut Köllen / Hans Bathelt) 3:55
The Hazy Shades Of Dawn (Jürgen Fritz) 3:10
The Burning Sword Of Capua (Jürgen Fritz) 2:41
The Sweetest Sound Of Liberty (Helmut Köllen / Hans Bathelt) 2:36

The March To The Eternal City (Jürgen Fritz / Hans Bathelt) 8:48
including:
Dusty Road
Italian Improvisation
First Success

Spartacus 7:39
including:
The Superior Force Of Rome (Jürgen Fritz / Hans Bathelt)
A Broken Dream (Jürgen Fritz)
The Finale (Jürgen Fritz)
Spartacus lyrics
(printed with permission of Hans Bathelt)

The School of Instant Pain
Proclamation
I'll be your guide
So join me and fight
To break down the walls
That keep us in this misery

I'll be your friend
Believe in the end
We built up a new
and better land

The Gladiator's Song
I've been trained to kill a man
A sword, a spear or with my hand
As nature built me big and strong
A gladiator's song

We're kept like animals in a cage
They pay for it to see the rage
Their kicks have become stale and dry
They get excited when we die

Our life it is not meant to last
The arms so strong the eyes so fast
We're putting on a special show
And selling out the big front row

There is no chance of getting free
We could fight for eternity
And death is near it won't take long
A gladiator's song

From Wikipedia, the free encyclopediaJump to: navigation, search
Spartacus

Studio album by Triumvirat
Released 1975
Recorded February and March, 1975
Genre Progressive rock
Length 42:31
Label Capitol
Professional reviews

Site oficial: http://www.triumvirat.net/

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

9 de abr de 2010

Triumvirat - Illusions on a Double Dimple (Remaster)

Em homenagem ao trabalho que considero fenomenal dessa banda resolvi postar as capas originais do álbum do "ratinho" ou melhor da trilogia do ratinho.
As faixas de 01 à 04 são de 1973 e as de nºs 05 e 06 de 1976, mas claro pra quem já conhece a história o vinyl saiu só com as faixas 01 de um lado e a 02 do outro.
Não me lembro exatamente qual foi meu primeiro contato com essa banda ou trio alemão; se foi com o Spartacus ou com este aqui, mas lembro muito bem que amigos que viajavam muito e eram mais velhos traziam esses lançamentos e ao chegarem chamavam a todos pra apresentarem as novidades. Lembro que a primeira observação sobre eles, é de que seriam uma cópia escancarada e mal feita do ELP, e isso já desabonava sem ouvir o trabalho dos caras. Mas estava lá mesmo, não custava nada.....e que puta surpresa pra mim ao ouvir a sonoridade, a batida enérgica e a voz melódica que compunham aquele trabalho sinfônico/pop, mas que nada tinha de cópia de seu ninguém.

Qqr um com um pouquinho de conhecimento musical percebia os caminhos percorridos por Keith Emersom e que nada tinham a ver com Jurgen Fritz , e que a marca vocal do ELP também não estava alí, nos vocais delicados de Jurgen e claro de Helmut Kollen neste álbum.Bem o resto é história e aqui está a clássica "Mister Ten Percent" e suas 06 partes, num trabalho ao meu ver inigualável inclusive prq eles já eram discriminados por terem caras de "nerds", "cdfs", eram alemães,etc e etc; mas de músicos mesmo nada a ver (prq? músicos seriam como?)e ao ouví-los quase todos se renderam inclusive, o próprio Greg Lake os elogiou dizendo que a vertente que eles seguiam era praticamente inatingível e inimitável.

Aí está com 04 bonus tracks, o "ratinho alemão" que destronou os progressivos tradicionais da época e até hj são respeitados e reverenciados pelos grandes mestres da música.

Obs: Postagem original em 23/03/09
Outra obs: Tava louco pra repostar este som que ouvi quase a semana toda.

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!