Mostrando postagens com marcador Eloy. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Eloy. Mostrar todas as postagens

10 de out de 2013

ELOY - "Visionary" - 2009



O título deste álbum, "Visionary", faz jus ao seu criador Frank Bornemann, que sem dúvidas alguma é um visionário que está sempre muito além de seu tempo, nos surpreendendo a cada novo trabalho e o melhor de tudo é que ele não tem pressa, pois este álbum é lançado onze anos depois de "Oceans 2", apto a atrair a quem o escutá-lo uma única vez.

Neste trabalho, nós somos remetidos à fase áurea do rock progressivo, pois os conceitos mais fundamentais desta complicada vertente musical são resgatados e adaptados à nova realidade em que vivemos e ao mesmo tempo em que estes elementos do passado são utilizados a sensação é de escutar algo novo, sem o ranço de um saudosismo recuperador que às vezes nós mesmos buscamos por falta de novas opções musicais.


Frank Bornemann está como sempre esteve, ou seja, irresistível em suas composições, sua guitarra está mais afiada que uma navalha e sua voz pouco mudou com tempo e como sempre, não se fez de rogado, montou a estrutura da banda da melhor forma possível, já que o Eloy praticamente a cada álbum tem uma nova formação, então um velho e conhecido parceiro, Klaus-Peter Matziol que teve a honra de participar da melhor fase da banda entre 1975 e 1980, reúne-se mais uma vez ao grupo e dá sua fundamental contribuição.

Não bastasse isso, nos teclados, Michael Gerlach e Hannes Folberth dão um show à parte com seus sintetizadores e Bodo Schopf fazendo muito bem a sua parte na bateria e percussão, fecham o primeiro escalão da banda que ainda recebeu um reforço extra com músicos convidados que fecham o elenco que formou a banda para este álbum.


A música de abertura, "The Refuge" já indica o que se pode esperar de um álbum tão tardio, tão fora de sua época, a não ser uma gratíssima surpresa, com um conjunto de músicas muito bom e que certamente agradará a quem já está ou não familiarizado com a banda, tendo em vista que é um trabalho vigoroso com poucos momentos de tranquilidade, mas com muitos sintetizadores nervosos orquestrando o complexo enredo musical criado a partir da louca e genial mente de Frank Bornemann.


Gostaria apenas de destacar três musicas que me chamam muito a minha atenção, "Age of Insanity", "The Challenge" que é uma continuação para "Time to Turn" e “Age of Insanity", primeiramente por serem músicas com uma qualidade musical que há muito tempo eu não escutava e em um segundo plano, este de ordem pessoal, todas as vezes que as escuto, me lembro de situações vividas a mais de trinta anos atrás em que a trilha sonora fatalmente era algum álbum do Eloy ou alguma outra grande banda, pois naquela época era o que eu mais escutava, juntamente com Yes, ELP, Camel e Genesis, me proporcionando momentos de profunda alegria e bem estar que renovam a alma profundamente.

ALTAMENTE RECOMENDADO!!!!

Musicians: 
Frank Bornemann (lead vocals, guitar)
Michael Gerlach (keyboards)
Hannes Folberth (keyboards)
Klaus-Peter Matziol (bass)
Bodo Schopf (drums, percussion)

Guest Musician:
Anke Renner (vocals)
Tina Lux (vocals)
Volker Kuinke (flute)
Christof Littmann (keyboards and orchestrations)
Stephan Emig (percussion)

Tracks:
01. The Refuge 4:54
02. The Secret 7:44
03. Age of Insanity 7:55
04. The Challenge (Time to Turn Part II) 6:43
05. Summernight Symphony 4:27
06. Mystery (The Secret Part II) 9:01
07. Thoughts 1:24

22 de ago de 2012

Eloy "Timeless Passages"

Hoje não tem muito papo, tô sem pc usando um note emprestado que nem sei manusear, e assim vai se levando.Provavelmente depois que a net melhorou um pouco na selva algo viria após a tempestade tropical e o pc foi pra revisão dos 100 mil,rs

Odeio essa bagaça que eu clico aqui, saí ali, mando um comando ele não obedece, faço um post some inteiro, digito uma letra saem 3 (tb com essas patas queria o que né?), enfim tadinho de mim né?

Uma porra, o chato é que queria postar mais coisas legais em gratidão a tantos amigos e amigas que tem paciência com este lobo estepario como diria o Aponcho, mas "fazemos o que podemos" e pelo menos assim posts muito bons antigos que ainda estão vivos estão sendo visitados.

Outros estão sendo pedidos pra repostagem, ou seja não é sóo o que ponho aqui na cara, tem umas coisinhas por aqui na alcatéia que valem a pena uma sondagem.

Vamos ao que interessa ((vou dar uma porrada nesse note se continuar a escrever 3 letras em cada uma que digito, deveria deixar pra vcs verem coomo fica a bagaça,rs), há tempos queria postar o Eloy e o Gustavo postou um excelente que não achei mais.

Aí me vem com essa coletânea, melhor ainda pra mim que sempre comprei delas prq a grana era curta e sóo dava pra GH em muitos momentos mass pelo mmenos tinha um pouco do meu objeto de desejo.

Devidamente roubado das Ondas da Net pra vcs, ainda tenho muitos blogs pra invadir e roubar posts muito bons, me aguardem, prq vergonha perdi faz tempo.


"Excelente coletânea para quem já conhece o trabalho do Eloy e para quem não conhece é o caminho certo para adorar a banda.

O Eloy foi fundado no final dos anos 60 na Alemanha por Frank Bornemann, aliás, único membro que passou por todas as formações.

A banda gravou seu primeiro trabalho em 1971 com nome homônimo e o último recentemente em 2009, intitulado "Visionary", muito bom por sinal. O tempo passou, mas qualidade do trabalho do Eloy ficou cada vez melhor.

Este álbum duplo reúne o que há de pior e melhor do Eloy e posso garantir que o pior é excelente, imaginem o melhor.

Esta compilação passa pelas diversas fazes da banda dando uma panorâmica geral e mostrando o progresso que a banda atingiu, álbum a álbum, mesmo que, com as diversas formações que passou.Estão presentes nesta coletânea musicas dos álbuns "Power and the Passion"; "Down"; "Oceans"; "Silent Cries and Might Echoes"; "Colours"; "Planets"; "Time to Turn"; "Metromania"; "Ra"; "The Tides Return Forever" e "Oceans 2", ou seja, o que há de melhor, garantindo mais de duas horas divertimento.

Ficaram de fora desta coletânea o álbum da fase hard rock, o "Eloy" de 1971 e os da fase progressiva inicial que seriam o "Inside" e o "Floating" também excelentes trabalhos editados entre 1973 e 1974.

Uma música que não está presente nesta compilação e é uma verdadeira obra de arte é "Mutiny" que faz parte do álbum "Power and the Passion" e merece ser lembrada. A rigor se lembrar-nos das outras músicas não inseridas nesta coletânea o álbum não seria duplo e sim quintuplo.Eloy - "Mutiny"

Músicos:

- Frank Bornemann: guitarras, vocais
- Michael Gerlach: teclados
- Klaus-Peter Matziol: baixo
- Hannes Folberth: teclados
- Detlev Schmidtchen: teclados
- Hannes Arkona: guitarras
- Fritz Randow: bateria
- Nico Baretta: bateria
- Lenny Mac Dowell: flautaSet-list:

CD1
1. Decay Of Logos (8:17)
2. Lost (The Decision)?? (5:01)
3. The Midnight Fight / The Victory Of Mental Force (8:06)
4. Master Of Sensation (5:59)
5. Silhouette (Edit) (3:26)
6. The Bells Of Notre Dame (Remix) (6:18)
7. Sphinx (6:42)
8. All Life Is One (6:27)
9. Rainbow (5:13)
10. Point Of No Return (5:25)
11. Ro Setau (Edit) (5:00)
12. Poseidon's Creation (Live, previously unreleased) (11:28)

CD2
1. Time To Turn (4:31)
2. End Of An Odyssee (9:23)
3. Voyager Of The Future Race (6:25)
4. At The Gates Of Dawn (Instrumental) (4:14)
5. The Tides Return Forever (6:35)
6. The Sun-Song (4:51)
7. Follow The Light (9:45)
8. The Apocalypse (14:52)a) Silent Cries Divide The Nights b) The Vision - Burning c) Force Majeure 9. Illuminations (Remix) (6:14)
10. The Answer (11:19)

Obs: Links Ok!!!!!!!!!!!!!

Enjoy 01!!!!!!!!!!!
and
Enjoy 02!!!!!!!!!!!