Mostrando postagens com marcador Velocidade mínima de internet sobe para 30% da taxa contratada. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Velocidade mínima de internet sobe para 30% da taxa contratada. Mostrar todas as postagens

2 de nov de 2013

ATENÇÃO "Velocidade mínima de internet sobe para 30% da taxa contratada"


A velocidade mínima obrigatória de acesso à internet banda larga foi elevada a partir desta sexta-feira (1º) de 20% para 30% da taxa contratada, segundo determinação da Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel). 

A velocidade média mensal de conexão também subiu, de 60% para ao menos 70% do firmado em contrato. 

A regra vale para conexões fixas e em dispositivos móveis.Até outubro deste ano, as empresas de telecomunicações eram obrigadas a fornecer a cada conexão apenas 20% da velocidade contratada, tanto para downloads quanto para uploads.

A elevação da velocidade mínima entregue aos consumidores acontece quando as operadoras mal conseguem cumprir as regras atuais. 

Nas últimas três medições mensais feitas pela Anatel, as empresas Vivo, Tim e Oi não ficaram dentro da meta.

Desde que as regras de qualidade foram aprovadas pela Anatel em outubro de 2011, essa é a primeira vez em que há um salto de exigência na prestação do serviço de acesso à internet.

Operadoras terão de aumentar qualidade mínima de acesso à internet
Certificação de qualidade
A Anatel disponibiliza uma ferramenta para checar a sua velocidade de conexão à internet. Clique aqui para usá-la.
Você também pode verificar a que passo anda a sua conexão em dispositivos móveis com aplicativos para iOS e Android. Veja.
Em caso de irregularidade, ligue para o número 1331 ou utilize o serviço de auto-atendimento do site da Anatel aqui.


Critérios de qualidade

Leia aqui no artigo 46 do Regulamento do Serviço de Comunicação Multimídia.

Enquanto isso, no restante da América Latina, a tendência é inversa, e os valores cobrados pelo acesso à internet caíram nos últimos anos.

Além disso, um levantamento anual da Organização das Nações Unidas (ONU) apontou o minuto de celular no Brasil como o mais caro do mundo.

O banco de preços, porém, é fornecido pelas próprias empresas.

Exigência a partir de novembro de 2013

Velocidade instantânea 20% da velocidade máxima contratada 30% da velocidade máxima contratada


Velocidade média 60% da velocidade máxima contratada 70% da velocidade máxima contratada


Latência 80 ms (milissegundos) em 85% das medições80 ms em 90% das medições


Jitter50 ms em 80% das medições50 ms em 90% das medições


Perda de pacotesAté 2% de 85% das medições Até 2% de 90% das medições


Disponibilidade 99% de 85% das medições 99% de 90% das medições
Fonte: Anatel


Diante de problemas na prestação dos serviços, a Anatel recomenda que o usuário primeiro entre em contato com a sua operadora e anote o número de protocolo de atendimento."Se a prestadora não o atender, ele deve entrar em contato com a agência. 

Dependendo do fato, e com o número do protocolo, a Anatel entra em contato com a operadora para acompanhar o atendimento e apurar os fatos. O número de protocolo é uma segurança para o usuário", afirma a agência por meio de sua assessoria de comunicação.


As operadoras que não cumprirem as metas estão sujeitas a sanções administrativas por parte da Anatel, que incluem advertência, suspensão temporária de serviço e multas de até R$ 50 milhões. 


Veja aqui o documento de sanções administrativas.


Caso o usuário fique por mais de 30 minutos com o serviço indisponível sem ter sido avisado com antecedência, ele tem direito a pedir ressarcimento. 

Histórico


Outro salto de rigor na avaliação da qualidade de conexão será dado em novembro de 2014. 

Até lá, as operadoras deverão entregar pelo menos 40% da velocidade instantânea contratada e 80% da média mensal.


Uma pesquisa recente elaborada pela GSMA (associação internacional de companhias de telecomunicações) mostra que o preço cobrado pelos pacotes de banda larga no Brasil vêm aumentando. 

Ir na contramão do restante da região fez do Brasil o país latino com a banda larga mais cara. 


As operadoras contestam argumentando que a base de valores considerada pela ONU é superestimada. 


Outros critérios usados pela Anatel para avaliar a excelência do serviço das operadoras também ficarão mais rigorosos.


Veja o que significa cada item:

Operadoras terão de aumentar qualidade mínima de acesso à internet
Critérios de qualidade
Exigência até outubro de 2013
Exigência a partir de novembro de 2013
Velocidade instantânea
20% da velocidade máxima contratada
30% da velocidade máxima contratada
Velocidade média
60% da velocidade máxima contratada
70% da velocidade máxima contratada
Latência
80 ms (milissegundos) em 85% das medições
80 ms em 90% das medições
Jitter
50 ms em 80% das medições
50 ms em 90% das medições
Perda de pacotes
Até 2% de 85% das medições
Até 2% de 90% das medições
Disponibilidade
99% de 85% das medições
99% de 90% das medições
Fonte: Anatel
Velocidade instantânea é a taxa de upload e download apurada no momento da utilização da internet pelo usuário.


Velocidade média é a média das medições de velocidade instantânea analisadas durante o mês.


Latência é tempo que uma informação enviada pela internet leva para ir da casa do usuário ao servidor e retornar.


Jitter é a instabilidade da latência.


Perda de pacotes são as informações na internet que não encontram seu destino ou são descartadas pela rede da operadora devido à baixa qualidade da conexão.


Disponibilidade é o período durante o mês em que o serviço de acesso à internet pelo qual o cliente paga esteve disponível. (G1)