Mostrando postagens com marcador Phillip Long. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Phillip Long. Mostrar todas as postagens

15 de set de 2012

Phillip Long "ATLAS"

Fiz questão de esperar um pouco apesar da ansiedade em postar o novo trabalho do Phillip, o 4º em sua curta carreira, justamente para mostrar pra alguns detratores de língua grande alguns pontos.

1º Não vivo disso e não ganho nada postando Floyd (aliás todos são retirados e corro o risco em cada um de perder o blog) ou Phillip a não ser o prazer de postar aqui o que  gosto.

2° Não preciso de autorização de ninguém mesmo que estejam escritos nos discos a proibição de divulgação a partir que vai pro "éter" como dizemos no rádio, é público qualquer um pode pegar e quem pode proibir?

3° Outra aberração, proibir a radiodifusão pública ou etc e tal, parece coisa da época que alguns que nunca conheceram tem saudades, dos Gulags, dos campos de concentração ou das prisões em países que muitos líderes nossos foram educados pra tal "democracia"; aliás até lá já se pode ter tv e geladeira e aqui estamos perdendo o direito a tudo.

4° Aos que não gostam de blogs por achar que somos piratas ou bandidos, aos que dão ouvidos a esse tipo de gente, só uma resposta:

Mais uma vez coloco o link da musicoteca pra os discos do Phillip aqui, só um é meu e só eu sei qual é prq acompanho sim seu crescimento desde que o Dê me apresentou e sei como e qtos são baixados mas segue abaixo a listagem do próprio site (este pros linguarudos não é pirata posta com autorização do autor, mas eu tb uai....) e nesta listagem famosos como Los Hermanos estão pouco acima de um desconhecido com 02 discos e que depois de postado aqui vi subir vertiginosamente para o 4° mais baixado graças a um trabalho belíssimo produzido pelo Edu que infelizmente fica dando ouvidos à qqr um e não percebe o que faço por ele e seu pupilo, mas f...........

5º E pra encerrar prq disse que iria falar num próximo post, o post chegou, vivo as minhas custas, posto o que quiser, se fecharem esse blog e eu tiver saco tenho mais 3 espelhos prontos com nomes bem parecidos que qqr busca no google encontra e tô me lixando para o que a sociedade acha do que faço e sou assim desde os tempos em que comecei andar de skate nos anos 70 e fugir da polícia prq já éramos bandidos; tomar dura da mesma polícia em shows prq éramos cabeludos e deveríamos ser por isso drogados; de ter os instrumentos confiscados pelas siglas mais variadas da época; de tomar pau mesmo prq não abaixava a cabeça pra seu ninguém e não é agora que vou baixar pra qqr um por aqui.

Postei o Phillip prq amei seu trabalho, gostei do Edu prq vi nele um músico de qualidade invejável e que poucos hoje no país tem seu talento e sei do que falo prq convivi com os melhores, mas daí a precisar "tomar benção" pra fazer o que faço é uma imensidão de caminhos a se percorrer.

Seja feliz Phillip Long, faça o que ama, que eu daqui continuo te prestigiando nem que seja ouvindo no celular floresta afora,rs.

Vc é fantástico e músico de verdade e sem dores não conheço; artista nenhum produziu sem suas dores e conflitos......siga em frente você é ótimo e meu querido Eduardo Kusdras, qdo tiver qqr dúvida sobre o que eu disse ou não fale direto comigo que não tenho meias palavras, medo e nem mando recados, vc é realmente "the Best", querendo ser meu amigo ou não ,falar comigo ou não, pouco importa, nada tira seu talento, mas o seu talento e não de outros que simplesmente orbitam a sua volta e só por isso se acham "ungidos" com um dom que poucos possuem.
Discos Mais Baixados

(155895) Coletânea Re-Trato Los Hermanos musicoteca | Disco 2 - 2012
(36809) Coletânea Re-Trato Los Hermanos musicoteca | Disco 1 - 2012
(24300) Mula Manca - Amor e Pastel
(23096) Cícero - Canções de Apartamento - 2011
(21026) Phillip Long - Caiçara - 2012
(20545) Nancy - Chora, Matisse! - 2009
(16775) Coletânea Re-Trato - EP Re-Trato - 2012
(14756) Roberta Campos - Para Aquelas Perguntas Tortas – 2008
(13338) Marcelo Jeneci - Feito Pra Acabar - 2010
(12692) Babi Mendes - Short Stories - 2011
(11874) Phillip Long - Man on a Tightrope - 2011
(11291) Phillip Long - Dancing With Fire (A Folk Opera) - 2012
(11013) Marina Wisnik - Na Rua Agora - 2012
(9339) Bárbara Eugênia - Journal de BAD - 2010
(8774) Filipe Catto - Saga - 2009
(8765) Araçá Blu - Araça Blu - 2011
(8381) Estrela Ruiz Leminski e Téo Ruiz - Música De Ruiz São Sons - 2011
(8369) Igor de Carvalho - Igor de Carvalho
Quem faz:
Álbum Atlas – 2012
Arranjado e produzido por Eduardo Kusdra

Gravado Mixado e masterizado no Arte Master Home Studio entre Junho/Agosto de 2012
Voz – Phillip Long
Violões aço & nylon, guitarras, pianos, hammond e slide – Eduardo Kusdra
Bateria (na faixa Strange disorder) – Maguinho Alcântara Brecht
Backing vocals (nas faixas Strange disorder & Problematic soul) – Maria Eliza
Fotografia: Ciro Bertolucci
ATLAS
1. Look Through My Window
2. Moon Rising
3. When The Stars Collide
4. Blue Valentine
5. Problematic Soul
6. Strange Disorder
7. Little Lion From The Se
8. Animal Side
9. Down In The Ocean
10. Atlas
11. Swan Song
12. Done
13. Slow Down

Aviso: Todas as obras disponibilizadas e distribuídas neste site são gratuitas e autorizadas por seus autores.


Enjoy!!!!!!!!!!!

21 de mai de 2012

Phillip Long "Dancing With Fire" A Folk Opera

É sempre muito difícil opinar sobre o trabalho de alguém, porque independe de vc gostar, ele está pronto e pronto!

Claro que vc pode achar defeitos e virtudes, variações e nuances, mas não me canso de agradecer ao Dê por ter me apresentado a música, os músicos, o Edu, o show, amigos e lógico o Phillip que digo sem medo de errar " é de longe um dos melhores músicos que já ouvi".

Qdo vejo esse recado em nossa alcatéia, veio um misto de alegria e carinho prq alguns músicos já foram pelo menos educados e outros até mais, foram amigos em participar dos posts (uns nem cito prq foram um lixo como sempre pedindo pra retirar o post prq atrapalhava a venda dos cds e etc e tal, vão pro inferno que é quentinho...); mas qdo conheci em seu show o Phillip, gostei de cara e se ele já me havia conquistado através do pendrive do Dê, frente a frente já era, virei fã prq além de tudo o garoto é uma simpatia.

Ele quer minha opinião, ou impressão e faço diferente, posto e quem tiver afim baixe e tire suas próprias conclusões passando direto pra ele nos links abaixo ou por aqui nos comentários.

Grato Phillip pela confiança e carinho, seja feliz em sua jornada, prq a minha ao seu som se torna mais feliz.Lobo, tudo certinho?
Acabo de lançar meu 3º disco e gostaria muito de saber suas impressões sobre ele.

O disco se chama "Dancing With Fire (A Folk Opera) e é todo baseado em violões, uma mergulho em direção as raízes.

Espero que goste...PhillipDancing With Fire (Enterlude) (Phillip Long)

Won't you get close?
Won't you get high?
Dancing with fire
Without touching there's no harm
Just dancing with fire
Won't you join us?
Won't you come with us?
We're dancing with fire
Don't be shy
Don't think twice
Just dancing with fire
Dancing with fire
We're dancing with fire
Dancing, dancing, dancing with fire
Dancing with fire
Dancing With Fire: A Folk Opera

Tracklist

1- Dancing With Fire (Enterlude) – (Lyric: Phillip Long / Melody: Eduardo Kusdra)
2- We Were Giants – (Phillip Long)
3- Woman Of Venus – (Phillip Long)
4- In God's Name – (Phillip Long)
5- A Prelude For My Disgrace – (Eduardo Kusdra)
6- Damn She's Got My Mind – (Phillip Long)
7- So Old To Fall In Love – (Phillip Long)
8- I Can't Wait Until Tomorrow – (Phillip Long)
9- It's Hard When It Aches – (Phillip Long)
10- A Requiem For My Joy – (Eduardo Kusdra)
11- Forsaken By Love – (Phillip Long)
12- Sometimes – (Phillip Long)
13- Except My Love – (Phillip Long)
14- Dancing With Fire (Exitlude) - (Lyric: Phillip Long / Melody: Eduardo Kusdra)Vocals by Phillip Long.
Guitars, bass, piano and drums by Eduardo Kusdra.
Featuring Maria Eliza in “It’s Hard When It Aches” and “Forsaken By Love”.
Backing vocals by Maria Eliza.

All songs written by Phillip Long except “A PreludeFor My Disgrace” and “A Requiem
For My Joy” written by Eduardo Kusdra.
Produced, arranged, mixed and mastered by Eduardo Kusdra at Estúdio Arte Master.
Sessions recorded between March and May 2012.

Artwork by João Lobo.
Eduardo Kusdra uses Mayones basses exclusively. ( www.mayones.com)Social media:
www.soundcloud.com/phillip-long
www.twitter.com/phillip_long
www.facebook.com/philliplongfolk
www.myspace.com/philliplongmusic

Contacts & Phones:

philliplongmusic@hotmail.com
(19) 9718 4655 – Eduardo Kusdra – www.facebook.com/eduardokusdra
(19) 9826 9095 – Lô Ferreira – www.facebook.com/lo.ferreira1

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!

3 de mai de 2012

Phillip Long "Caiçara"

Não sou divulgador profissional e muito menos amador.

Sou um amante da música e me qualifico como um cego no meio, prq sou até tosco, mas não tenho dúvidas de quando escuto algo que realmente é bom.

Pode o mundo ir contra e não é teimosia!!!!

Convivi com muitos músicos de primeira linha, conheci muita coisa através do olhar deles, mas desde lobinho séculos atrás ligava um rádio à válvula e ouvia o que conseguia, não ligando se era noticia ou música, queria sentir aquilo e dizia pra mim que ainda faria aquilo e fui muito além porque até trabalhei com meus ídolos que mesmo envelhecidos, não eram tão mais velhos por serem jovens à época dos meus sonhos.

Convivi e trabalhei com Antonio Carvalho,Antonio Celso, Toni José,Fiori Gigliotti, Silvio Luiz, J.Paulo de Andrade, Salomão Esper e uma infinidade deles; vi nascer na rádio bandeirantes esse monstro de repórter chamado Pedro Bassan, um menino ainda, mas um Gênio.
Enfim, pra falar de alguém tenho de falar de mim sim, prq as histórias se confundem qdo tirava minhas primeiras notas com Manito, ou fazia backing vocal em festivais como de Saquarema debaixo de uma puta chuva onde dona Rita nem quis entrar por medo de choque.

Trabalhei em bastidores, montei bandas e participei de outras, mudei de profissão e depois de décadas entro no rádio, pronto, poderia morrer feliz; mas o destino ainda tinha muito pra me mostrar e aqui estou onde nem esperava tanto retorno e que fosse tão acessado, prq pra mim mais de 10 seria bagunça e como um pequeno blog, chegar aos quase 1.300.000 page views e 5 mil visitas dia era pra qqr um estar fechado; e a cada dia que abro e me vejo por aqui sinto um misto de prazer e dor.

Então pra abrandar a dor e dividir a alegria, procuro o meu melhor e assim posto o segundo trabalho desse menino de Araras, que repito, só não estoura lá fora se não quiserem prq deixa no chinelo muita coisa lançada diariamente com nome de música e furor de sucesso; não ele é doce em cada nota e em cada som e dá vontade de ouvir de novo.

Repito: Até qdo estarei aqui?
Não sei, um dia acordei com vontade de meter o dedo no delete de tanta encheção pessoal e profissional e precisava de paz, mas o carinho que tenho pelo SM me impediu, não ganho nada com isso só faço o que gosto, com links ou não, criticado ou não, aqui estou de novo, e aproveitem, prq nunca se sabe qdo um fdp desses aí vai te delatar o dia todo até fecharem seu blog.

Baixem o disco e me desmintam se puderem.

Parabéns Phillip, pelo presente que dá a este lobo de ouvir uma música com tal qualidade e amor.

Escrevo este texto como de costume ouvindo outra coisa "Nursery Cryme" do Genesis, talvez por me dar o clima que preciso nesse momento.

Escrever sobre Phillip Long e seu segundo disco me balançou. Eu digo até que esta postagem foi um presente do Web Mota para mim. O Phill tem uma ligação muito forte com a musicoteca e posso afirmar que, chega a ser até uma ligação espiritual. Do momento que ele nos comunicou o segundo disco até pari-lo (não existe outro termo para tal), eu queria estar presente em tudo, saber de tudo. Até as dores do parto. E a distância física não foi barreira, já que moro nos EUA. Falávamos todos os dias. Das minhas intermináveis xícaras de café, dos meus controlados para curar minha loucura humana e da minha insônia, eu quero que vocês sintam toda a energia que nós, da musicoteca, estamos colocando no Phill e em seu segundo disco.


Eu perguntei para o Phill tantas coisas, suas inspirações, sobre sua vida… O mais interessante é o seu amadurecimento, que é visível, no tocante à sua profissionalização como músico e como pessoa. Phillip tem um estilo musical muito peculiar, o folk, que eu tenho escutado muito, até porque moro no Texas. Sua voz e seu sotaque contribuem para a perfeição. Há diferenças peculiares do primeiro para o segundo disco. Em “Man on a Tightrope” o criador vivia um momento de mudanças: A família voltava de Porto Seguro para Araras, um relacionamento acabara e o artista sentia falta dos amigos que se distanciava. A melancolia tomava conta de suas músicas. Todo este pano de fundo cabia perfeitamente dentro de folk. Mas, muito mais coisas estavam por vir…


“Caiçara” é o nome do seu novo trabalho. Do novo álbum que nos intriga a cada canção. Ouvi, como que num mantra, todas elas, vagarosamente. Por dias. Por noites. Aquilo tudo entrou dentro de mim… Caiçara fala do modo como Phil vê a vida hoje. Sim, este artista que é considerado uma das grandes revelações da nova safra musical brasileira. Mesmo cantando em inglês. Phillip exorcizou todas as suas bruxas neste álbum, não mediu palavras duras, agora ele não tem medo e nem dedos para dizer o que sente. Este é um disco mais elétrico. “Ele é muito diferente em todos os sentidos, eu exorcizei os demônios dos amores fracassados. E eu escrevo sobre as minhas impressões da vida. Eu abordei temas mais pesados para mim, por isso dei essa roupagem mais folk-rock”. Palavras do astro… Mas, nem tudo é tão duro assim. “The Girl Who Lives In India” fala de um amor platônico, de um flerte. “A moça da India é algo idílico, nunca aconteceria de verdade! Quando o assunto é amor eu sempre acabo escrevendo”. Ai, Phill!!! Não fale assim comigo (risos).


E eu lhe disse: “Mas, a vida nos prega tantas peças… Você não acha?” E ele, como numa sessão terapêutica, dá um tapa em mim: “Mas é bacana esse lance todo, você segue evoluindo! Se aprende mais em tempestades do que em calmarias…”


Phill mantém uma parceria quase que mística com Eduardo Kusdra, produtor dos seus dois álbuns. “Somos quase como Simon & Garfunkel, segundo meu pai.” Aliás, está aí outra coisa que me encanta neste artista. Sua forte ligação com a família. Seu pai João Wolf, assina a capa de Caiçara e sua irmã, Lô Ferreira, nos presenteia na última faixa do disco, onde recita um poema intitulado ”E Nunca Foi Nosso”, com trilha do Eduardo. É impressionante como tudo se mistura e casa entre eles. Fiz a última pergunta. Aquela que não queria calar: “O que você anda escutando em português?” Phillip Long mais uma vez me encanta: “Rafael Elfe (um cara ainda pouco conhecido, mas que logo vocês vão ouvir, falar e muito), Pélico, Bárbara Eugênia, The Outside Dog (do Pedro Gama, som que descobri através da Musicoteca ♥), Karina Buhr, Igor de Carvalho (um compositor que eu admiro muito, também conheci através da Musicoteca) e a Babi Mendes (além de talentosa pra caramba, é uma fofa).” Ou seja, tudo o que nós, por aqui, estamos escutando também. “Um sujeito que sempre ouvi, cresci ouvindo e admiro até hoje é o Belchior. Esse cara é o Dylan brasileiro para mim, a obra dele me influenciou e influencia profundamente, sou fã desvairado do trabalho dele”. Nós também, querido.


Eu termino, como já havia registrado, muito emocionada. Eu me envolvi sentimentalmente na criação deste ábum, além da versão de Sentimental, que Phillip Long nos presenteou para a Coletânea Re-Trato, onde a musicoteca homenageia os 15 anos dos Los Hermanos. Deixo, então, as palavras do Web Mota, fundador deste site e que escreveu sobre o primeiro álbum do Phill há quase 1 ano atrás: “Grave este nome, Phillip Long. De Araras.”

Silvia Yama

Brasileira vivendo nos Estados Unidos, amante da boa música, das artes e da moda. Adora pesquisar as influências que as manifestações artisticas causam no comportamento das pessoas e como tudo se transforma em tendência cultural.
Tracklist:

1. Lion Heard
2. Nobody’s Happy
3. How Deep Does It Go
4. Sometimes You Win, Somentime You Lose
5. Green House
6. When The Thunder Hits The Ground
7. Caiçara
8. Love’s Gonna Kill Us
9. The Girl Who Lives In India
10. Whe You Come Back Home
11. E Nunca Foi Nosso (Um breve texto para Erison Beinotti por Lô Ferreira)

Fonte: A Musicoteca

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!

1 de mai de 2012

Phillip Long “Man on a Tightrope”

Se tem uma coisa de que um lobo não pode ser acusado é de não ser curioso.

O Dê para em frente da alcatéia e conversa vai conversa vem, ouço em seu possante um som que na hora despertou todos os dois neurônios, e na lata claro pergunta clássica " que som é esse"?

Aí como todo amigo e fã lá vem ele desfiando um rosário de loas sobre o rapaz em questão (pra um lobo secular como eu qqr um é rapaz,rs), que é um amigo, que toca muito, que o trabalho era bom, etc e tal.

A hora que ele tomou fôlego entrei no meio e consegui pedir pra me dar uma cópia pra ouvir direito, afinal com movimento em frente a toca e ele falando como iria prestar atenção pra achar defeitos e tal?

De imediato me passou os dois discos dele e já fui ouvindo e repassei pra Lucy prq queria entender o que ele queria dizer com o nome do disco "Caiçara", afinal pra quem teve uma toca mais de décadas na praia e cai no colo um disco com esse nome, desperta qqr curiosidade ou coincidência e na próxima qdo postá-lo explico melhor.

Taí o primeiro disco desse brazuca, que não deixa nenhuma dúvida de que é bom sim e tem talento, um som gostoso, livre pra baixar e repassar pra amigos poderem valorizar o que temos de melhor.

Parabéns a Musicoteca pela iniciativa, ao Phillip e sua equipe e claro ao Dê pelo bom gosto, e parabéns pra mim que mesmo sendo notificado como bandido, continuo com minha incansável busca pela essência e garanto que nesse disco vc encontra muito dela.

Puta som!!!!!!!!!!!!!!!!!
Há tempos o folk não aparecia na sua mais bela forma.
Usado como base de apoio para referenciar alguns dos novos artistas da cena brasileira, eis que ele reaparece, só que desta vez por inteiro, e em sua melhor forma. Assim é o primeiro trabalho autoral deste mais novo e promissor músico brasileiro, Phillip Long.

Depois de alguns meses trabalhando em suas composições e gravações, Phillip lança “Man on a Tightrope”. Um trabalho digno de apreciadores, totalmente livre e com a melancolia digna de um belo folk. Com a colaboração de seus parceiros Letícia Palmeira, escritora e importante suporte na concepção das canções, o produtor Eduardo Kusdra e arte gráfica assinada pelo artista plástico João Lobo, o processo criativo enlaça um fabuloso álbum. “As relações balanceadas no sexo e a corda bamba do ser invisível”.

Apostamos fichas valiosas neste e nos próximos trabalhos de Phillip Long, uma prova registrada de que a música brasileira a cada dia que passa perde as amarras e se reinventa.

Agradeço ao Phill pelo belo trabalho cedido a nova arte brasileira e seus experimentadores. Agradeço também pelo carinho em nosso contato.

Grave este nome, Phillip Long.

De Araras, SP, Br
.Tracklist:

1. Don’t be Silly
2. Nothing Happens
3. Man On a Tightrope
4. Love is Sacred
5. So You Don’t Think
6. J’ai Besoin D’entendre
7. Sugar
8. My Captain
9. Lady of The Cabaret
10. Letícia

Fonte: A Musicoteca

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!