Mostrando postagens com marcador Lyle Lovett. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Lyle Lovett. Mostrar todas as postagens

14 de nov de 2010

Lyle Lovett "Joshua Judges Ruth"

Naqueles "paus" que nossas máquinas dão, perdi sim muita coisa e aos poucos vou recuperando prq eram realmente raridades algumas e outras eram pérolas como esta.

Claro e óbvio que o gosto é pessoal, mas eu vi em pouquíssimos lugares e ouvi em raras bocas, alguém interpretando musicas ligadas a religião, ao espiritual, sem pieguice, com qualidade, com amor e vibração como aqui neste disco do Lyle.

E quem é este cara?

Nascido em 57, cantor country, já foi marido de Julia Roberts, adora fazer backing vocals em discos de amigos como Al Green e Elvis Costello com quem dividiu shows e um disco se não me engano; mas seria pra muitos um ilustre desconhecido mesmo com todo talento que tem.

Não me recordo, e isso é uma característica dos lobos mesmo, qdo o conheci e como me apaixonei por sua obra, só sei que este disco foi exatamente por esta música que posto o vídeo abaixo e que infelizmente a linda versão original não pode ser incorporada, prq o clipe é maravilhoso; mas esta ao vivo não deixa nada a desejar e demonstra um cantor maduro, sério com sua obra e respeitoso com a musicalidade negra norte americana e sua religiosidade.

Pra muitos pode soar estranho eu sei, mas pra mim junto a Johnny Cash e Willie Nelson esse é o que forma a tríade da música country norte americana, e ao mesmo tempo me faz muito bem ouvi-lo.

Um disco muito difícil pelo menos pra mim, de achar novamente, poucos posts e menos links ainda, por isso em respeito deixo o link original e o blog de onde veio, prq é muito triste ver que trabalhos assim não circulam pelo mundinho blogger, e qdo se quer os mesmos disquinhos de sempre se acha as "pencas".

Obs: A montagem do post foi desse lobo doido, o que não desmerece em nada o post original de onde trouxe o link, só é minha forma de fazê-lo.

E chamo a atenção pra um cara que sempre está nos bastidores, mas é um monstro nos vocais, o Sr Sweet Pea Atkinson , tb um desconhecido de muitos mas que acompanho seus trabalhos de há muito, e ainda vou trazer algumas coisas dele, prq é outro raro de achar, prq mais colabora do que produz.



Rolling Stone (4/30/92, p.56) - 4 Stars - Excellent - "...Lovett's fourth, bleakest and most resonant album....Its major artistic progression lies in the more intimate balladry, which is distinguished by sharper writing and more precise emotional nuance than Lovett has previously displayed..."

Spin (12/92, p.69) - Ranked #14 in Spin's list of the 20 Best Albums Of The Year. - "...Lovett uses the rubric of country music as a cloak for some of the most intelligent, introspective pop around..."

Spin (5/92, p.80) - Highly Recommended - "...worth the wait...familiar country'n'blues turf..."

Q (5/92, p.79) - 4 Stars - Excellent - "...Lyle Lovett is just a regular mixed-up kind of guy who happens to make very classy records that don't sound like anybody else..."

Down Beat (8/92, p.46) - 3.5 Stars - Good Plus - "...Lovett again flashes the kind of deliciously wicked wit and musical eclecticism that have branded him as an outsider in Nashville....The pure, naked emotion of these slice-of-life tales cuts directly to the heart..."

Dirty Linen (Dec./Jan. 92-93, p.54) - "...the most appropriate music to frame [Lovett's] considerable lyrical gifts..."

Musician (5/92, p.90) - "...consider this a winner on all counts..."

Village Voice (3/2/93, p.5) - Ranked #24 in the Village Voice's list of the 40 Best Albums Of 1992.Leave it to the poker-faced Lovett to use a biblical joke to underline the thread of tangled relationships that weave between the wisecracks on this, his fourth album.

With his elegantly drawled tenor and modulated sense of country, gospel, and R&B inflections, the Texan songwriter extends the larger ensemble settings and contrasting moods achieved with his preceding album, Lyle Lovett and His Large Band, again mixing shaggy dog stories ("Church"), atmospheric portraits of places and people ("Baltimore"), and fatalistic love songs ("North Dakota") that underline his acknowledged debt to other Lone Star songwriters like Townes Van Zandt, Guy Clark, and Nanci Griffith.

Yet his ease with frank rock elements, and an often urbane outlook, point up a musical kinship with L.A.'s folk-rock wing, notably Jackson Browne.
-Sam Sutherland
Personnel includes: Lyle Lovett (vocals, acoustic guitar); Dean Parks (acoustic guitar); Ray Herndon, Billy Williams (electric guitar); Leo Kottke (guitar); Jay Dee Maness (pedal steel guitar); John Hagen (cello); Plas Johnson (tenor saxophone); Matt Rollings (piano); Leland Sklar (bass); Russ Kunkel (drums); Ricky Lee Jones, Emmylou Harris, Sir Harry Bowen, Sweet Pea Atkinson (background vocals).

Tracklist:

01. I've Been To Memphis
02. Church
03. She's Already Made Up Her Mind
04. North Dakota
05. You've Been So Good Up To Now
06. All My Love Is Gone
07. Since The Last Time
08. Baltimore
09. Family Reserve
10. She's Leaving Me Because She Really Wants To
11. Flyswatter / Ice Water Blues (Monte Trenckmann's Blues)
12. She Makes Me Feel Good

Direto do blog "Soft Archive"
Enjoy!!!!!!!!!!!! (link ok)