Mostrando postagens com marcador Ange. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ange. Mostrar todas as postagens

17 de out de 2010

Ange - Souffleurs de Vers

"Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída
Como é por exemplo que dá pra entender
A gente mal nasce e começa a morrer
Depois da chegada
Tem sempre a partida
Porque não há nada sem separação

Sei lá... sei lá
A vida é uma grande ilusão
Sei lá... sei lá
Só sei que ela está com a razão"

Vinicius de Moraes
Conheci o "Ange" numa rádio na net e baixei dos meus amigos do "Voo7177", apesar de vê-los rodando por aí foi lá que busquei o disco que mais me identifiquei deles o "Caricatures" por causa de uma música de nome "Dignité".

Um som gostoso, as vezes intenso, as vezes romântico, as vezes dramático e por muitas vezes incompreensível o que eles querem dizer com tudo aquilo, com aquela "sopa" como diria Hermeto; mas ao meu ver sem sombra de dúvidas uma grata contribuição ao universo musical.

Este som eu ainda não tinha ouvido e me causou curiosidade depois de um tempo e algumas transições, como eles estariam, não é como o "Caricatures", mas também não fica atrás, é um belo som e continua sendo um dos melhores expoentes da música que já ouvi nos últimos tempos e este não foi tão fácil assim, prq existem os mais tradicionais até em pacotes, mas os mais recentes....."Ange é uma banda francesa de rock progressivo formada em 1970 pelos irmãos Francis (tecladista) e Christian Décamps (vocalista).

Eles eram inicialmente influenciados pelo Genesis e pelo King Crimson, e a música da banda é bem teatral e poética. O primeiro sucesso deles foi uma versão da canção Ces gens-là de Jacques Brel, presente no disco Le Cimetière des Arlequins.

Os outros três membros da banda, nos primeiros anos (comumente considerados os melhores anos do Ange) eram Jean-Michel Brézovar na guitarra, Gérard Jelsch na bateria e Daniel Haas no baixo e na guitarra acústica.

Em 1995, eles fizeram uma turnê de despedida. Christian Décamps lançou alguns discos como Chistian Décamps et Fils ("Christian Décamps e Filho"), antes de retomar o nome "Ange" em 1999 (usando a banda de seus discos solo, incluindo seu filho Tristan), com o disco La voiture à eau."

Fonte: Wikipédia Ah! o que teria a ver o trecho de Vinicius na abertura de um post do Ange?

Tudo e nada, acho que explica a sensação dos seres humanos e como não sou poeta uso o "poetinha" pra falar por mim o que sinto e como não sou músico uso o "Ange" para expressar por mim o que gostaria de expressar.

Por isso que sinto mesmo qdo um post é deletado, acusado ou delatado, cada um deles tem um significado pra mim e compartilho porque na realidade nunca poderíamos ter tudo que gostamos e assim dividindo um pouco de cada conseguimos uma parte do todo.

Isso não é roubo, nenhuma banda se desfez por causa disso e muitos passaram a conhecer coisas como eu mesmo através da blogosfera e consigo amenizar um pouco do tudo que se passa a volta com os sentimentos expostos em letras e sons........"tem dias que fico pensando na vida...."

Obs: Estou repostando alguns álbuns que gosto muito e que claro, foram devidamente deletados, pra aproveitar inclusive estou usando alguns links já existentes, o que neste caso trouxe do belíssimo blog Museo Rosenbach que não sei o motivo parou de postar trabalhos como este mas fica tb como uma homenagem a eles e ainda no aguardo da volta do Mactatus e seu Voo 7177.

Enjoy part 01 and part 02 !!!!!!!!!!!!!! (pass:Phonograph)