Mostrando postagens com marcador Giacomo Gates. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Giacomo Gates. Mostrar todas as postagens

19 de mai de 2013

Miles Tones - Giacomo Gates "Songs from the Music of Miles Davis"

Houve um tempo em que dizem ter existido reis e princesas, dragões e seres sobrenaturais; uma época mágica inclusive onde haviam unicórnios, duendes e outros seres que povoaram nossas mentes na infância e até hoje ainda tem gente que jura de pé junto que vê!!!!

Bom, eu que não vou entrar nessa seara, mas sei que houve um tempo em que existia um blog mágico na net (óbvio,seria aonde seu lobo idiota?), cuidado por um cara bem erudito e que entendia de tudo que postava, não era um lobo sem classe que nem esse que vos dedilha.

Não; seus posts eram recheados de informações pertinentes, qualidade sempre acima do normal que rolava e discos e mais discos de qualidade impecável e todos se não me falha a memória descritos em inglês perfeito e cuidadoso.

Ou seja, era um blog pra o mundo, prq queiram ou não posso escrever em ídiche mas a linguagem do mundo é o inglês fora o mandarim e lógico o uivo dos lobos; e sendo pra o mundo era de um acesso até posso dizer elitizado e esse lobo aqui num foi meter as patas lá depois de começar uma encrenca com o proprietário no ProgVintage da Luciana(grande novidade,rs) que nada tinha com os despautérios de um lobo débil mental?

E brigava no prog e brigava no blog dele e assim começou uma amizade muito sincera, baseada em respeito, carinho e acima de tudo parceria, só que não mais que de repente ele decide fazer uma coisa que já tentei por vários motivos.

Por medo de se deletado sair antes, por perseguição de invejosos que viviam delatando os links que eu subia nos hosts e por tb essa mesma caterva viver anonimamente ou com avatares quaisquer falando um monte de merda estivesse onde estivesse esse animal.

Até cheguei a pedir proteção aos protetores dos animais mas disseram que a minha raça não era nem catalogada, conhecida ou reconhecida e um estudo muito profundo teria de ser feito e nessa de "profundo" pensei bem e deixei quieto prq o pelo desse lobo ia rodar em algum laboratório (me perdoem a brincadeira os defensores de nós animais em extinção, mas se estamos em extinção é que algo tá errado né?) e não iria deixar que "profundamente" me examinassem.

Bem voltando ao que interessa mesmo um belo dia o blog não estava mais lá!!!!!

Fiquei desolado, escrevi, falei, implorei (o fiz tb com o Mactatus pra voltar com o "Voo7177" mas de nada adiantou) e ele irredutível fechou a bagaça e zé fini,rs

A partir daí ganhei um colaborador eventual, que ao viajar para o Nepal em férias trazia um disco, ao ir o Sri Lanka ídem, em Moldávia terra natal desse lobo trouxe até lembranças de parentes afastados e assim foi e é; França, EUA, Itália por onde forem sua férias lá vem presentes os quais compartilho aqui com o maior prazer apesar que nunca dei conta de postar todos.

Mas enfim, tudo isso pra contar que o disco que vos apresento é uma homenagem aos amantes do jazz e principalmente do Miles Davis (né Aponcho?) prq se pensam que só por amar o Blues não gosto ou conheço outros estilos se enganam e quem resolve homenagear gênios ou é louco e burro ou é muito confiante no taco e no que faz, prq vai ser esmiuçado de cabo a rabo "profundamente" e o Giacomo quis isso fez e lançou e se  prestar atenção estáentre os tops das emissoras da área e aqui está too para nós degustarmos juntos.

Mais uma das dicas do amigo e parceiro ZM, que ultimamente só me manda recados tipo:

Dead, veja e, principalmente, ouça este italiano!

Não é o máximo?

E se reclamo que ele sumiu:

Dead,
não exagera...
de vez em quando eu comento teus posts.
--zm
Ré,ré,ré...esse é o ZM que muitos dos mais novos não conhecem e nem conheceram seu trabalho em seu blog que acho era "ZM JazzRock" e que de uma certa forma ainda existe (te achei né ZM?) mas que pedindo sempre licença aos outros tantos amigos e colaboradores dessa alcatéia destrambelhada afim de deixar claro que não deixo um por outro ou alguém é melhor que outro prq cada um tem sua assinatura e me reservo o direito de postar conforme o estado de espírito e se não o faço é por pura incompetência mesmo ou qdo estou enrolado em meus próprios sonhos e devaneios de um mundo melhor.

O que não desqualifica ng e por isso sempre deixo claro, que sem a ajuda de todos que o fazem com carinho e amizade não teria chegado até aqui e o ZM foi um desses, não o primeiro e nem o último, mas alguém que em nome de todos queria agradecer por tudo até hoje, e tb por termos atingido mais uma marca: a de 300 seguidores,rs

Pode não ser nada pra ng, mas pra mim tenho muito orgulho de alguém perder seu tempo pra se cadastrar na alcatéia e mesmo com o "pau"(mais um) que dando no blogger e que 99% dos blogs estão reclamando que seus seguidores não aparecem eles respondem: "que ainda não acharam o motivo mas estão empenhados (há,há,há, se eles que criaram isso não sabem vai um lobo estepario que nem esse aqui saber?) e que em breve estará tudo em ordem."

Bom, em nome do Som Mutante e aproveitando o exemplo do ZM vai aqui uma homenagem a todos esses corajosos que enfrentam até críticas por aqui aparecerem e perdem amigos por isso (é mole?) e a todos que esses anos todos passaram, passam ou ainda passarão ao lado da fogueira ouvindo música e contando e ouvindo histórias junto a esse lobo.

Muito obrigado a todos mesmo!

Valeu ZM.
Here, performing music written by and associated with Miles Davis, vocalist Giacomo Gates proves, as he did with his historic Gil Scott-Heron recording, that great music is not bound to the instrument on which it was created.

Though there are notable contributions from pianist John di Martino , laying down some tasty changes, and Freddie Hendrix sounding quite Miles-like in his muted utterances this disc is all about Giacomo Gates joyously creating music both carefully rehearsed and on the spot while all the time spreading that joy to his audience.
MILES TONES
Giacomo Gates Sings the Music of Miles Davis
Savant Records
#1 for its 4th straight week on jazz radio chart!


Scat singing is one of the true paradoxes in jazz.

A vocalist who scats with any level of authority is usually considered to be a jazz singer, yet one need not scat to fall into the jazz singer category.

So, Betty Carter was a jazz singer because she scatted, but so was Billie Holiday and she never scatted.

There is, however, a small cadre of artists who could both sing and scat with aplomb.

A short list might include, Sheila Jordan, Jon Hendricks, Eddie Jefferson, Mark Murphy and, the vocalist currently under scrutiny, Giacomo Gates.

Here, performing music written by and associated with Miles Davis, Gates gives us the best of all possible worlds: a bit of syllabic scatting, some Hendricks-inspired singing of instrumental lines and a lot of his mellifluous baritone voice.

Gates proves, as he did with his historic Gil Scott-Heron recording, that great music is not bound to the instrument on which it was created and that it loses neither import nor content when refracted through the prism of superb musicianship.

Though there are notable contributions from pianist John di Martino, laying down some tasty changes, and Freddie Hendrix sounding quite Miles-like in his muted utterances, this disc is all about Giacomo Gates joyously creating music both carefully rehearsed and on the spot while all the time spreading that joy to his audience.
Personnel:

Giacomo Gates (vocals);
Dave Stryker (guitar);
Lonnie Plaxico (bass);
Freddie Hendrix (trumpet);
John Di Martino (piano);
Vincent Ector (drums).
Tracklist:

1. All Blues 5:06
2. Be-bop Lives (Boplicity) 3:59
3. Fiur 4:19
4. 'Round Midnight 4:55
5. I Fall in Love to Easily 5:02
6. 'Long Come Tutu 6:27
7. Milestones 5:18
8. You're My Everything 4:42
9. So What 4:58
10. Walkin' 3:52

Enjoy!!!!!!!!