Mostrando postagens com marcador Gary Moore. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Gary Moore. Mostrar todas as postagens

3 de mai de 2014

Greg Lake & Gary Moore Together


Este é um post bem das antigas do Som Mutante. Ele data de 2008, um dos primeiros post do DOA, e por algum mistério, não chegou a ser publicado. Trata-se de uma união bem única... Um Bluesman com um ícone do Prog... Ao ouvir a guitarra de Gary Moore substituindo os solos de Keith Emerson, confesso que fiquei muito surpreso, pois não achava isso possível. Sempre tive a curiosidade de ver/ouvir ELP com guitarra, e esta união deu uma pequena amostra disso... Segue o post do Dead, na íntegra:
_________________________________________

24/09/2008

Gary Moore feat. Greg Lake

Bem, se vc for fuçador e procurar vai achar algo talvez relativo à isso; esta união fantástica que rendeu alguns shows realmente maravilhosos.
Mas........
Neste caso esse é um daqueles cds que vc acha naquelas bancas no fundo de uma loja que está vendendo qqr porcaria que esteja fazendo sucesso no momento; o que foi meu caso à época, ao notar uma capinha muito xumbrega com a foto dos dois e o título acima.
Bem, conhecendo um pouco da discografia de cada um e olhando os detalhes, dá pra perceber que é aquilo que sobra em gravadoras; que repassam pra outras e mais outras e de repente alguém publica sem nenhum critério de data; de onde saiu tal música; quem tocou nas mesmas, etc e tal. Um encarte bem pobre como tudo que vêm dessas pseudo gravadorazinhas.
Acontece, que sou meio maluco e banquei a aposta (R$10 contos,ré,ré,ré), e qual não foi minha surpresa ao ouvir um Gary Moore em vários estágios de sua carreira, inclusive qdo começou a cantar pois não achava alguém que o agradasse. E como cantava mal....
Mas o melhor estava por vir, as quatro últimas músicas é que são relativas aos dois juntos em um show qqr de uma época qqr em um lugar qqr; e aí é que me vi frente a frente com dois gênios da música mundial num concerto fantástico!!!!!! Very,very,beautiful; inclusive qdo dividem seus sucessos maiores: Lucky Man com solo de guitarra ao invés dos teclados de Keith Emerson (até onde sei, isso não é comum...) e Parisienne Walkways com os vocais de Greg Lake ( e dá pra perceber que Gary arregaça sua guitarra, porque estava com um dos maiores vocalistas do mundo cantando sua música preferida). Chega de papo furado, acredito que vc vá gostar.

obs: A foto acima nada tem a ver com o albúm, a "capinha" vai junto, rs.

Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Download
____________________________________________


King Biscuit Flower Hour Presents Greg Lake in Concert is a live album recorded by Greg Lake live in concert on November 5, 1981. It was recorded at the Hammersmith Odeon in London, England and aired on the King Biscuit Flower Hour radio broadcast. It was first released on CD in 1995. Recording mastered at PolyGram Studios. The CD was mastered at Dolphin Studios.

Tracks:
1. Fanfare For The Common Man / Karn Evil 9 (6:11)
2. Nuclear Attack (5:45)
3. The Lie (4:33)
4. Retribution Drive (5:41)
5. Lucky Man (4:50)
6. Parisienne Walkways (6:03)
7. You Really Got A Hold On Me (5:25)
8. Love You Too Much (5:03)
9. 21st Century Schizoid Man (9:06)
10. In The Court Of The Crimson King (5:39)

Musicians:
Greg Lake - Lead Vocals, Guitar
Gary Moore - Vocals, Lead Guitar
Tommy Eyre - Vocals, Keyboards
Ted McKenna - Drums
Tristram Margetts - Bass


21 de abr de 2013

Blues for Jimi "Gary Moore" by Gustavo (audio-cd)

Tá aí uma coisa que pensei, pensei e pensei (dá pra perceber que o raciocínio anda mais lento né?) antes de ouvir.

O Gustavo é um camarada que nos conhecemos como muitos através dos blogs e trocamos emails e idéias, e fazendo sempre o que gosto que é sem a pessoa saber roubar um post que gostei muito e postar aqui prq gostaria eu tê-lo feito,rs

Daí pra frente os laços foram se estreitando e junto vieram outros e já existiam alguns prq meu círculo de amizades não é muito extenso mesmo, não faço questão de quantidade e sim de qualidade e tudo isso nos aproximou mais ao ponto de irmos ao blog dele debater assuntos dos mais variados e quase nunca sobre os posts própriamente ditos.

Em resumo recebo um email dele me enviando um link e esse álbum e com um conversa mole de preguiçoso se referindo que seria mais minha praia e tal e se quisesse postar ótimo, senão ficaria como presente.

Bom aqui tem um fator muito interessante, prq não sou fã de nenhum dos dois (ohhhhhhhh!!!!!) mesmo, respeito a história deles é óbvio, sei o valor que cada um tem mas não significa que tenha a discografia completa de um dos dois.

Hendrix sempre foi muito barulhento pra mim que sou mais baladeiro e Gary enquanto não aprendeu  a cantar cada disco tinha uma linha e vc não sabia bem o que ele queria com aquilo.

Só que com o tempo filtrei o que gosto do Hendrix e descobri muita coisa mesmo e forma de arte pura e no caso do Gary se deu o mesmo fato, acho que envelhecemos e aprendemos juntos, ele  compor e cantar e eu a ouvi-lo e entendê-lo e nosso relacionamento vem até a sua partida que me foi muito sentida.

Ao pegar um tributo de um recém partido para um eterno partido, que o que não faltam são tributos pra render dim-dim, dei uma olhada assim meio de lado, mas como veio de fonte confiável abri  o som e me deixei levar e confesso, ouvi no mínimo umas 10 vz seguidas, prq coloquei tb no cel e nas caminhadas ia ouvindo mas não conseguia deixar de repetir e repetir e repetir.

Poderia ter postado só com essas palavras: "PQP"!!!!!!!!!! que puta disco lindo......mas não, tinha que dar um pitaco sim pra repetir que esse é um dos melhores discos do Hendrix que não foi feito por ele e um dos melhores do Gary Moore que não foi feito por ele.

Duvido quem gosta e é fã não gostar e duvido quem não curte muito os dois ou um deles somente não se envolver na aura desse som, uma puta de uma homenagem aos dois e não de um pra outro, dois monstros em suas épocas e estilos fazendo o que faziam de melhor, música.

Valeu Gustavo, pra quem diz só comprar ofertas de prog em supermercado vc tá saindo melhor que a encomenda, simplesmente um dos melhores discos que já ouvi, agora é com vcs.
Blues for Jimi is a live album and Blu-ray/DVD by the Northern Irish, Blues-Rock guitarist and singer, Gary Moore.
The live performance was originally recorded on the 25th of October, 2007 at the London Hippodrome.
The performance features Gary Moore playing a selection of Jimi Hendrix classics.
The concert was part of the launch for the Jimi Hendrix Live at Monterey program.
It features a special guest appearance by Billy Cox and Mitch Mitchel
Both Jimi Hendrix and Gary Moore played guitar and sang with the soul of bluesmen and the drive of hard rockers.
So who better to pay tribute to Hendrix at an August 2007 London Experience Hendrix launch of Hendrix's Live at Monterey reissued DVD than the veteran Moore?
And to add more gravitas to the post-DVD presentation concert, Experience drummer Mitch Mitchell and Band of Gypsys bassist Billy Cox joined Moore for three tunes near the end of the 80-minute-long set.
The DVD, Blu-Ray, and CD (all available separately) capture the amped-up excitement of the night as Moore and his regular touring duo tear though some of Hendrix's biggest hits with the ferocity that Moore brings to every gig.
The only criticism is the set list, which trots out the usual suspects of Hendrix's early catalog ("Fire," "Foxy Lady," "Purple Haze," "The Wind Cries Mary") which are overplayed.
Whether Moore had control over that or was instructed to play tunes that hewed closely to those from the Monterey Hendrix performance is unclear.
But even though he doesn't exactly make them his own, the Irish guitarist brings plenty of sweat and intensity to those warhorses.
He also adds the less well-known "I Don't Live Today," which, in light of Moore's untimely 2011 passing, is strangely and sadly prophetic
An emotional six-minute reading of "Angel," prefaced by a frantic guitar improv instrumental oddly named "My Angel" that displays Moore's chops, gives him a chance to get sensitive on one of Hendrix's most ghostly and beautiful tunes.
The "blues" in the album's title is spotlighted as Mitchell and Cox kick off their 25-minute guest appearance with a fiery, 11-minute "Red House," arguably the night's highlight.
Cox's basslines find a deep groove (he also sings the song) and Moore is clearly in his element, whipping off solos that shift from sweet and jazzy to biting and raw.
The threesome had only rehearsed once the day before, and that lack of preparation nearly sinks "Stone Free," also sung by Cox, where things get a little too ragged.
But they bounce back for a punchy, nine-minute "Hey Joe" that captures the spirit of Hendrix's version while providing Moore a platform for his own six-string acrobatics that organically build to a crescendo even Hendrix would have applauded.
The DVD shows how much the trio is enjoying itself, but even the audio is evidence that Moore is in his natural habitat with this material, and playing with Hendrix's sidemen is clearly a thrill.
He brings back his own band for a closing ten-minute "Voodoo Child (Slight Return)" that puts an exclamation point on an already outstanding performance.
Why it stayed in the vaults for five years until its 2012 release is unclear, but this is a lightning-in-a-bottle treat to be savored by both Moore and Hendrix fans.
Personnel
Gary Moore - Lead Vocals, lead and rhythm guitar
Dave Bronze - Bass guitar (Tracks 1-8, 12)
Darrin Mooney - Drums (Tracks 1-8, 12)
Special Guests
Billy Cox - Bass guitar and vocals (Tracks 9-11)
Mitch Mitchell - Drums (Tracks 9-11)
1. "Purple Haze" Jimi Hendrix 4:15
2. "Manic Depression" Hendrix 3:48
3. "Foxy Lady" Hendrix 6:14
4. "The Wind Cries Mary" Hendrix 4:19
5. "I Don't Live Today" Hendrix 5:58
6. "My Angel" Hendrix 0:53
7. "Angel" Hendrix 5:16
8. "Fire" Hendrix 5:38
9. "Red House" Hendrix 11:30
10. "Stone Free" Hendrix 5:45
11. "Hey Joe" Billy Roberts 9:36
12. "Voodoo Child (Slight Return)" Hendrix 10:11

8 de mar de 2011

Gary Moore & Mick Jagger "We Want Moore Jagger" - Hammersmith Odeon, London UK (06-28-1992) by Lamarca

Como é do estilo "Lamarca" pouco papo, prq o prolixo aqui sou eu, apesar que é mal de lobo isso e até qdo não temos o que fazer uivamos pra lua ou o que mais surgir, então querer que nos calemos é complicado,ré,ré,ré

Sempre me agrada qdo somos presenteados por quem entende do assunto e ele ainda me pergunta: -Interessa?

Acha que não?
Posso ser lobo mas bobo não sou e aí está mais um pérola do cancioneiro mundial enquanto o povo se regaça nas festas do tal momo, aí meu pai....rs


via Grateful Breed - A Psychedelicious Corner, Est. 2007 by Netanderthalian on 3/5/11

Gary Moore & Mick Jagger - We Want Moore Jagger (1992)
Hammersmith Odeon, London UK
06-28-1992

Tracks
01. Oh , Pretty Woman
02. Too Tired
03. The Sky Is Crying
04. Further On Up The Road
05. So Many Roads
06. Sweet Home Chicago
07. I'm Going Down
08. Checking Up On My Baby
09. Everybody Knows About My Good
10. Who Do You Love
11. I Just Wanna Make Love To You
12. The Blues Is Alright
13. No Expectations

DOWNLOAD RESPONSIBLY. SAY THANKS, CLICK SOMETHING.

13 de fev de 2011

Gary Moore "The Platinum Collection"

Bem, acredito que devido as dificuldades técnicas percebidas por todos (ré,ré,ré) esta alcatéia que já era uma zona agora virou do avesso mesmo e este lobo doido desistiu de se estressar.

Ainda iremos um dia ter uma net como nos países menores que vc contrata 10 megas e os caras dizem que isso é cortesia da empresa, te dão uma linha de celular e 10 canais de filmes cortesia por 90 dias!!!!!!!!

Mas aqui é assim e a previsão é de que em 5 anos pra recebermos na toca 2 megas terá de ser contratado algo em torno de 20!!!!!!!!!
E isso foi passado por um especialista da área num dos jornais mais importantes do rádio no pais.

Segundo ele o serviço e a rede estão tão sobrecarregados que pagamos por uma porcaria como se andássemos numa estrada esburacada e o pedágio fosse de uma autoban (ah saudades do dos caras do Kraftwerk que me deu agora) e daí é só piorar prq nada está sendo feito pra melhorar.Depois de mais um dos desabafos desse lobo senil segue aqui creio eu o resto da homenagem à um de meus ídolos e que realmente marcou minha vida musical.
Até pela insistência e persistência prq qdo encheram tanto o saco dele, passou a cantar e cantava mal no inicio, mas não se pode dizer o mesmo anos depois mesmo não sendo um primor de vocalista ficou independente de estrelas que queriam brilhar à sua sombra e daí pra frente o resto é história.

Pra os que conhecem como eu, talvez já tenham, mas pra quem não tem creio valer a pena a compilação e pra quem não é tão íntimo vai saber prq significou tanto pra mim e pra outros milhares de lobos pelo mundo afora.

Agora pra quem não gosta nem reza brava ajuda,rs!!!"With countless Gary Moore compilations released over the years, it's understandable for fans to greet the release of yet another, 2006's Platinum Collection, with skepticism. But what differentiates this three-disc set from the previous compilations is that it does a fine and dandy job of collecting highlights from all phases of Moore's career — heavy metallist, mainstream melodic rocker, and blues enthusiast. A cover of the Yardbirds' "Shapes of Things" allows Moore to show off his smoking six-string skills, and serves as proof that with a little more luck, Moore would have been up there with Van Halen, Vai, and Satriani as top rock guitarists of the '80s.Elsewhere, a pair of tracks recorded with the late great Phil Lynott — "Parisienne Walkways" and "Out in the Fields" — show the promise that future collaborations between these onetime Thin Lizzy bandmates held, if Lynott hadn't senselessly died young. Also, you'll find tracks that show Moore streamlining his sound in hope of crossover success — which he did obtain in Europe ("Over the Hills and Far Away," "Wild Frontier") — as well as his early-'90s rebirth as a bluesman ("Still Got the Blues," "Oh Pretty Woman," "Since I Met You Baby"). Also rounding out the set is a mixed bag of live tracks touching upon all the aforementioned styles — rockers ("Military Man"), blues ("Caldonia"), etc. As a Gary Moore introduction, the extensive and smartly assembled Platinum Collection simply can't be beat."Parts:
01
02
03
04
05
06

R.I.P.!!!!!!!!!!

9 de fev de 2011

Gary Moore & The Midnight Blues - Live At Montreux 1990 (2004)

O cara morre e eu ganho um presente de aniversário antecipado.

A vida é realmente o máximo e a morte tb, prq faz parte efetiva dela.

Nada melhor do que voltar a ativa com algo deste nível, show ao vivo, em vídeo, com links funcionando e qualidade 10, basta baixar e se divertir com o "cara"

Sem muito o que falar a não ser: "É muito bom estar de volta, mesmo que seja só por um post"; ré,ré,ré!!!!"This is an energetic, fun, and inspired performance, by one of the best guitarists ever!Gary Moore plays from "Still Got the Blues,"and a trio of tunes with Albert Collins( Albert seems a bit overwhelmed);an additional set from 1997(Moore's heavier Rock stuff) rounds out this excellent DVD.

His Midnight Blues band is also a treat-having fun, and playing off of Moore's infectious energy, and humor!!

If you've never seen this Irishman, you're in for an eye-opening treat!!!He's such a natural-be it as a performer, and a musician.

A rare talent indeed..."

Obs: Tenho um defeito idiota, que ao morrer alguém que gosto ou curto não quero falar muito.
Me lembro de comprar numa promoção um cd coletãnea do Gary prq o dinheiro era curtíssimo e tinha boas e péssimas músicas, mas com o tempo fui comprando outros e consegui uns 10 albuns dele que considero impecáveis.

Aprendeu a cantar prq só arrumava mala pra torrar e querer aparecer, compunha e digamos assim que bem, além do que estava sempre bem enturmado apesar de só.

Acho mesmo não ter muito mais o que dizer.

Part 01

Part 02

Part 03

Part 04

Enjoy!!!!!!!!!!!!!

6 de fev de 2011

Gary Moore - Still Got The Blues (Live)

Gary Moore died.....da minha parte só posso dizer que mais uma estrela se foi pro seu lugar.

Um músico refinado, as vz incompreendido, mas que só os que tocaram com ele sabiam seu real valor.

Até o Lake meu ídolo fez trabalhos com ele que já postei há tempos; era um monstro mesmo...e como o Beck, tinha um estilo mais durão, mais rasgado no manusear a guitarra só que o resultado se vê abaixo, "perfeição".

Um dia todos nos encontraremos pra um grande show!!!!



RIO - O músico Gary Morre foi encontrado morto na noite de sábado (05.02) no quarto de um hotel na cidade de Estepona, na Espanha, onde passava as férias, de acordo com o site oficial do guitarrista.

A divulgação do óbito do norte-irlandês de 58 anos - mas sem revelar a causa - foi anunciada pelo empresário Adam Parsons, da banda de hard rock Thin Lizzy, que Gary Moore fez parte.

O músico ainda tocou nas bandas irlandesas Skid Row - que não tem nada a ver com o grupo homônimo de Sebastian Bach - até o começo da década de 70 - e lançou seu primeiro disco "Grinding stone", com uma pegada de blues, em 1975 .

"Parisienne walkways", de 1979, e "Out in the fields", de 1985, são alguns dos sucessos de Moore que chegaram ao top 40 no Reino Unido.

Enjoy and Cry!!!!!!!!!!!!